target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

“AMANTE CONSAGRADO”(J.R. Ward)

Phury olhou para o rosto e para o cabelo dela. – Cormia, eu preciso dizer uma coisa…
— Eu amo você. – Phury balançou a cabeça e sentou com as pernas cruzadas. – Meu Deus…Eu estraguei tudo. Mas eu amo você. Eu queria que você soubesse porque…bom, caramba, porque é importante e porque significa que eu não posso me relacionar com as outras Escolhidas. Não posso estar com elas, Cormia. É você ou ninguém.
Pag. 458

“Amante Consagrado” é o sexto romance da série "Irmandade da Adaga Negra". Leia as resenhas dos livros anteriores AQUI. Nesse livro encontramos uma história de dependência e seu eterno ciclo de dor-prazer provocado pelo vicio. Phury é um vampiro fragilizado, que não consegue lidar com seus conflitos psicológicos e emocionais. Ele foge para um estado de torpor e vive no limiar entre a sanidade e loucura.
~~~*~~~
As contradições em sua vida eram muitas. Após séculos de celibato Phury foi eleito Primaz, aquele que serie o responsável pelo futuro de sua raça…o guerreiro amante de 40 Escolhidas. Mas as ironias do destino não terminavam aí. Ele sempre zelou por seu irmão gêmeo e, agora, não se sentia mais necessário; também sofria por um amor proibido que o consumia a cada dia.

Mas a voz do "Mago" era o que realmente lhe atormentava, seu eterno companheiro, aquele que sempre o lembrava do quanto era fraco e desprezível. Para abafar as vozes e esquecer sua cruel realidade, Phury fez do vício uma fuga…um refúgio sombrio e destrutivo.

Pouco a pouco, Phury perde o controle de sua vida e alcança um ponto de ruptura. Suas indecisões, mentiras e discursos de autopiedade não comovem mais ninguém. Seus companheiros lavaram as mãos e o deixaram sozinho para enfrentar seus pesadelos e tormentos.

Enquanto Phury caminha indiscriminadamente em direção à própria morte, Cormia – a primeira Escolhida – sofre por um amor não consumado e com a rejeição. Ela foi treinada para ser altruísta e pensar primeiramente no bem-estar do todo. Mas Cormia não conseguia ser assim, ela queria o Primaz só para ela e imaginar dividi-lo com outras 39 irmãs era insuportável. Ela não sabia como deveria agir, mas sonhava conquistar o coração do Primaz.
Phury desejava Cormia intensamente, porém ele a queria por completo. Pensar que ela seria sua amante apenas por obediência à raça e não por desejá-lo era algo inaceitável. Por outro lado, ele era o Primaz e deveria cumprir com suas obrigações, afinal, ele era o responsável por manter a linhagem da Irmandade. 

Entre encontros e desencontros, Phury e Cormia se descobrem apaixonados. Agora, frente a encruzilhada que a vida lhe impôs, Phury deve optar entre ser um macho de valor ou um pária; entre a vida ou destruição; entre o dever ou amor…
~~~*~~~
“Amante Consagrado” me causou um certo desapontamento. A autora descreve Phury como uma criatura frágil - de temperamento gentil e solícito - e seu lado artístico contribui ainda mais para compor uma figura sensível. Porém, nosso guerreiro é um dependente químico que vestiu o manto de mártir e vive em uma autocomiseração sem fim. Phury utiliza a droga como uma muleta, uma fuga da realidade que ele não consegue enfrentar. Em “Amante Consagrado” ele chegou ao fundo do poço e não teve um suporte adequado para se reerguer.  
Estranhei a indiferença com que a Irmandade tratou a dependência de Phury. Ele não teve apoio para sair dessa onda de autopiedade e foi literalmente abandonado à própria sorte. 

O romance entre Phury e Cormia também não foi atrativo. A relação demorou muito para se concretizar e quando finalmente aconteceu foi rápida e governada pelo impulso. As cenas de amor não tiveram a mesma tensão sexual e erotismo dos livros anteriores. Senti falta da impetuosidade do guerreiro, da sedução, da marcação da fêmea escolhida e do sentimento de posse… aquele lance de “minha”.

Por outro lado, as tramas paralelas foram um arraso. De tanto pensar na morte da bezerra, Phury se distanciou do leitor e se tornou um coadjuvante da própria história. John, Qhuinn e Blay simplesmente dominaram o palco e, os capítulos sobre eles, foram os mais empolgantes. Pela primeira vez eu adorei os redutores, eles estão mais malignos e a autora introduziu um elemento muito instigante que promete chacoalhar a vida da Irmandade da Adaga Negra.

Enfim…esse não é o melhor livro da série, mas com certeza vale muito a pena ser lido. Principalmente pelas tramas paralelas repletas de ação e aventura. Aliás, Amante Consagrado “deve” ser lido pelos fãs, pois nele há revelações e detalhes importantes de Rehvenge – protagonista de Amante Vingado – próximo romance da série.

Ward, J.R. Amante Consagrado. Unverso dos Livros, 2011. 548. p (Irmandade da Adaga Negra, Vol.6)
 

20 comentários:

  1. Realmente Phury não empolga ninguém... como disse na minha resenha... J.R Ward deu uma de Manoel Carlos (risos) onde os coadjuvantes aparecem mais que o casal principal.

    E ele funciona como interlúdio para as demais coisas, não é? A questão dos redutores e da própria IAN.

    É um bom livro, mas não pelo casal principal.

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Que engraçado!!! Comecei a ler seu post e pensei: Caraca!!! Essa foi a história que masi gostei até aqui.
    Depois quando vc começa a dar sua opinião, pensei: Que triste!!!! Foi tudo engano!!, kkkk
    Ainda não comecei a ler essa série. Tudo bem. Não precisa querer me matar.
    Ela está aqui. Na minha lista. O primiro livro em mãos. Só não senti que é o momento.
    Mesmo vc jogando um balde de água fria nas minhas expectativas, prometo ser uma boa menina e ler a série toda.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Ei Hérida,

    ainda não li nada da série, mas pretendo. São muitos livros e isso me desanima, mas você sempre elogia tanto que ainda vou ler. ^^

    beijos.

    ResponderExcluir
  4. Estão todos massacrando o Phury,coitado...
    Eu sempre gostei dele,mas claro que ele nunca foi meu preferido,como o Z. que é o melhor de todos né,pelo menos até agora agora...
    Temos que dar um desconto ao coitado do Phury,ele tinha aquele negócio de celibato e tal,nunca foi um personagem hot igual aos outros...
    bjs.

    ResponderExcluir
  5. Adoro IAN! Phury não é meu preferido, mas não desisto da série de jeito nenhum. rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Esse livro tb não curti muito! Ainda bem que o livro do Rehvenge compensa bastante as falhas desse...
    Hérida, ao ler aquilo que vc descreveu, senti a mesma coisa com relação ao Phury... E o romance demora para engatar!
    Eu achei Cormia uma personagem interessante por ela ser uma Escolhida e por ela ir descobrindo aos pouco seu talento... isso achei legal! Agora o Phury ficou muito apagado, tb achei que faltou força e impetuosidade nele...
    Mas nesse livro, o que realmente me emocionou foi o final... Achei bacana!
    Adorei a resenha!!^^
    bjuss

    ResponderExcluir
  7. Minha nossa, acho que sou a única pessoa do mundo que ainda não conhece essa série. Não que não tenha curiosidade, pelo contrário, é só a falta de dinheiro atual e o fato de que eu sempre adiei comprar o primeiro.
    Cada resenha que leio me faz ter ainda mais vontade de ler!

    Beijos
    Conjunto da Obra

    ResponderExcluir
  8. Oi Hérida!
    Eu só li o 1º volume de IAN e gostei bastante. Quero ler os outros volumes da série, mas vou lendo na ordem, então vai demorar pra chegar nesse ^^
    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  9. De toda a sua resenha eu só tive olhos para um nomezinho bem ali no final: Rehvenge!hahahah Não vejo a hora de ler Amante Vingado. Ai ai! Eu tbm quase dormi no ponto com a história do Phury. Não entendi tbm esse lance da Irmandade ter praticamente virado as costas pra ele. Um dos livros que eu menos gostei. Concordo com vc, até mesmo os Redutores estavam muito mais interessantes dessa vez (e olha que eu sempre tenho vontade de pular as páginas quando chega na parte sobre eles.rs). Agora é só aguardar o próximo livro!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Tenho lido muita coisa negativa deste livro, no entanto ainda não conheço a série e mesmo assim pretendo ler ela completa. Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  11. Olá, hummmm interessante tua resenha...é bom ler resenhas que mostrem a verdadeira opinião do livro, os pontos fortes e fracos..isso ajuda até os escritores a melhorem suas proprias historias. Gostei. Bjus.

    ResponderExcluir
  12. E nem posso ler mais nada por enquanto.. hehehe
    mas parece ser otimo livro pela resenha...

    bjos

    ResponderExcluir
  13. Oi Hérida to sentindo que preciso começar a ler essa série, é só no que as mulheres da blogosfera falam parece que esse homens são de tirar o folego mesmo.

    Xero.

    ResponderExcluir
  14. Ei Hérida,

    Vou me repetir, ainda estou indo para o quarto livro, super atrasada na leitura da série rs.

    Este é o único livro do IAN que estou vendo mais reclamações, eu nunca fui muito fã do Plury, achava que no Amante Desperto ele só atrapalhava o Zsadist hehe

    bjos
    Nanda

    ResponderExcluir
  15. Agora chega!!
    Ou eu páro de ler as suas resenhas dessa série ou começo logo a ler os livros! hahaha
    O que não dá é pra ficar passando vontade desse jeito!! hahaha
    Beijos
    Camila - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  16. Adoro a série, conheci no ano passado e me conquistou de primeira. São livros adultos para adultos e isso pra mim é o diferencial.
    Claro que tenho meus livros e irmãos favoritos, mas considero todos muito bons a sua maneira. São casais e personalidades diferentes, muito parecido com a realidade se pensarmos bem. Acredito que faz parte da magia da história, principalmente por podermos acompanhar o 'depois' dos casais formados nos outros livros das série.

    Não gosto muito do Phury, mas faz parte da 'família' então temos que aguentar. Estou louca para receber Amante Vingado!
    Bjkas!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  17. Só li o primeiro livro dessa série e me enamorei de primeira, agora quero ler a série toda..
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  18. Boa resenha, bons argumentos!!
    Obrigada1
    beijos

    ResponderExcluir
  19. Estou no 3º o livro do Z e amo IAN, embora deva confessar que o Rei é o meu preferido até ak e embora muitas resenhas só falem que o livro de Phury, vou ler sem dúvida mesmo pq adoro detalhes e sei q dependência seja ela qual for, é fogo por isso vou torcer para tudo ficar bem para ele..

    ResponderExcluir
  20. Eu gosto de todos os irmãos não adianta, eese realmente é o livro mais fraco, mas acho que é porque a autora trabalhou com um tema difiil.drogas, então ficou mais pesado em um aspeto e não tanto HOt. beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL