target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Lançamento: “A ARTE DE PERDER” (Michael Sledge)

- Você gostaria de chegar mais perto para poder ouvir melhor?
A mulher se virou e, por um tempo infinito, as duas se encararam. Ela tinha um rosto perfeito de boneca, os olhos azul-claros. Lota sorriu. Não queria afugentar aquele passarinho, mas já o tinha feito. Num tom raivoso, a mulher respondeu Ah, não, obrigada, e saiu apressada. De acordo com as armadilhas do destino, não levou nem uma semana para que sua amiga Louise trouxesse uma novidade para o jantar, e Lota a reconheceu imediatamente: a mulher das roupas excelentes.

Neste romance de estreia, Michael Slege cria um retrato intimo da adorada poeta Elizabeth Bishop – sua vida no Brasil e seu relacionamento com a amante, a urbanista e paisagista Lota de Macedo Soares. Sledge imagina através das correspondências de Bishop e de sua Biografia, seu intenso mundo particular, revelando o gênio literário que viveu em conflito consigo mesma: como mulher e escritora.

Sledge narra a vida de ambas as mulheres na casa de vidro, construída na selva, a longa batalha de Bishop contra o alcoolismo e seu auge como uma das maiores  escritoras da época. Ligada a grandes personalidades culturais e politicas da época, Lota também é assombrada por seus próprios demônios. E, à medida que segredos vão sendo revelados, o sensual cenário do Rio de Janeiro, o samba e a bossa nova e a situação politica do Brasil na década de 1950 envolvem Bishop em um mundo que ela nunca imaginou habitar.

A Arte de Perder é o retrato vivo de duas mulheres brilhantes, cujo amor impulsionou um dos mais belos trabalhos da história da arte.

“O romance cinematográfico de Sledge é tão luxuriante e fértil quanto a própria selva, com seus inúmeros frutos, folhagens e perigos ocultos. O leitor fica com a imagem indelével de uma mulher brilhante e atormentada, que escreve incansavelmente noite adentro, à luz de um lampião de querosene…Forte e inebriante.” – Booklist

Sledge, Michael. A Arte de Perder. Leya, 2011. 318 pag.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL