target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

“A PLUMA DO DIABO” (Minette Walters)

Nunca percebi quão frágil é a confiança. Pode uma pessoa realmente destruir a fé de outra em tudo e em todos?
p. 202
~~~*~~~
Connie Burns – correspondente de guerra da Reuters – está em Serra Leoa num momento frágil, pois o país acabara de sair de uma década de conflitos selvagens. Porém, quatro meses depois do fim da guerra civil, uma torrente de assassinatos ameaça a frágil paz. A polícia culpa ex-soldados rebeldes, mas Connie acreditava ter motivos para suspeitar de um indivíduo em particular… um mercenário britânico. Ele usava nomes diferentes, mas sua violência e ódio pelas mulheres era algo inerente.

Dois anos depois, agora em Bagdá, Connie novamente se depara com o mercenário. Sua teoria era frágil e jamais se sustentaria num tribunal, assim, Connie decide investigar mais sobre aquele homem. Mas seus planos são frustrados quando ela é sequestrada e mantida em cativeiro por três dias. 

Ao ser libertada, Connie se transformou em outra pessoa. Apenas uma sombra do que fora um dia… uma mulher amedrontada, agorafóbica e com frequentes ataques de pânico. Tentando fugir de seus medos, Connie muda-se para Dorset – uma pequena cidade interiorana. Aluga uma antiga propriedade, a casa Barton, e descobre que não é a única com segredos a esconder.

Sua tentativa de se isolar é frustrada por Jess Derbyshire, uma mulher solitária e pouco sociável que vive na companhia de seus cães Mastins. Uma respeitosa amizade nasce entre as duas, mas Connie não consegue se livrar dos fantasmas do passado. Até que seus medos tornam-se realidade e ela se vê, mais uma vez, encurralada pelo monstro que assombra seus pesadelos.
~~~*~~~
Quando iniciei a leitura de Pluma do Diabo – da autora britânica Minette Walters – estava convencida de que tratava-se de um thriller policial. Mas na verdade, o livro é um suspense psicológico. Narrado em primeira pessoa, acompanhamos a trajetória de Connie Burns, uma correspondente internacional que já cobriu conflitos em Serra Leoa e Iraque. Em meio ao caos, uma série de assassinatos chama sua atenção. Será que alguém está se aproveitando da desordem da guerra para realizar suas fantasias sádicas? Connie suspeita de um mercenário, começa a fazer perguntas e acaba chamando a atenção para si. Então, algo acontece com ela e tudo muda… 

Esse início é sensacional e capaz de nos fazer devorar as páginas, porém é extremamente curto. Após essa fase, vemos a protagonista enfrentar um momento de sofrimento psicológico, trauma e fobia. A autora foi muito astuciosa, pois deixa o leitor praticamente no escuro – tanto em relação ao que realmente aconteceu com Connie quanto a que rumo à história tomará dali pra frente. As informações são apresentadas paulatinamente, como lampejos de memórias ou confissões da personagem.

Walters passa a descrever o cotidiano de Connie e a amizade que ela desenvolve por Jess, que é um tanto excêntrica. Seguimos, então, uma Connie apática e amedrontada, e os personagens secundários ganham destaque. Inclusive, há uma personagem que não participa diretamente da trama, mas que adquire uma importância considerável ao longo do livro. Uma figura que nos é apresentada através dos relatos de terceiros, e em nenhum momento aparece como alguém presente. Uma abordagem ousada, já que o tema do inicio do livro é praticamente relegado ao esquecimento. Claro, que o mistério sobre o mercenário psicopata e o sequestro rodeiam a mente e direcionam o comportamento de Connie, porém o assunto assume um papel de menor importância nesse momento da história. 

É aí que reside a genialidade da autora. Ela envolve o leitor não pela ação ou violência, mas pelo desejo de saber o que virá a seguir… curiosidade. No terço final do livro a tensão volta às páginas e acompanhamos momentos bem angustiantes. Entretanto, o desfecho deixou a desejar. Minette Walters apresenta um final ambíguo, aberto a interpretações. Particularmente, não gosto muito desse tipo de desfecho, a não ser que seja muito bem planejado e desenvolvido. 

A Pluma do Diabo é um suspense psicológico repleto de tensão, angustia e mistério. Leitura mais que recomendada para os fãs do gênero.

Curiosidade: Pluma do diabo é uma expressão de origem turca que possui o seguinte significado: mulher que desperta o interesse de um homem sem se dar conta; causa inconsciente de excitação sexual.


Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL