target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

terça-feira, 7 de julho de 2015

“O LABIRINTO DE OSÍRIS” (Paul Sussman)

(…) Portas em cada uma de suas paredes. Mais passagens, mais decisões, mais complexidade, mais confusão. 
— Oh Deus, me ajude – suspirou – Por favor, Deus, me ajude. Por favor. Por favor. 
E o tempo todo, a escuridão diante os olhos, o silêncio nos ouvidos, e o lento e inexorável abraço do Labirinto que se enroscava ao redor dele. 
p. 411 
~~~*~~~
Desde que se viram pela última vez, a vida de Yusuf Khalifa, da Polícia de Luxor, e de Arieh Ben-Roi, detetive de Jerusalém, mudou. Ben-Roi, prestes a ser pai pela primeira vez, investiga um crime tenebroso na Catedral Armênia de Jerusalém. A vítima, uma jornalista chamada Rivka Kleinberg pesquisava sobre o tráfico de escravos sexuais em Israel. Quando surge uma ligação entre Kleinberg e um engenheiro britânico desaparecido de Luxor em 1931, Ben-Roi pede ajuda ao velho amigo e colega Khalifa.

A vida de Khalifa também mudou, mas, no seu caso, não para melhor. No meio de uma tragédia pessoal e embrenhado numa investigação – uma série de envenenamentos de poços no deserto egípcio – aceita ajudar o amigo israelita.

As duas investigações interligam-se, arrastando Ben-Roi e Khalifa para uma sinistra rede de violência, abuso, falta de ética corporativa e terrorismo anticapitalista. E no coração dessa rede encontra-se o labirinto – um mistério egípcio com mais de três mil anos, oculto soba as areias do deserto, que já fez com que Rivka Kleinberg perdesse a vida – e não será ela a última vítima...
~~~*~~~
"O Labirinto de Osíris" é o terceiro e último livro da trilogia Yusuf Khalifa escrita por Paul Sussman. A série foi interrompida pela morte prematura do autor em 2012, Sussman faleceu enquanto aguardava a publicação do livro que acreditava ser seu melhor trabalho. E ele estava certo, O Labirinto de Osíris foi a melhor obra do autor.

Seus livros possuem características que me atraem intensamente. Thriller policial com aquela pitada irresistível de conspiração. Encontramos uma história que reúne todos os ingrediente de uma aventura emocionante… muito suspense, caçadas arqueológicas, conspirações, segredos a serem descobertos e uma corrida contra o tempo de tirar o fôlego.
Mais uma vez temos uma caçada por um segredo arqueológico, porém ela é desenvolvida como consequência de uma investigação policial. Um assassinato cuja motivação está ligada ao Labirinto de Osíris, uma mina que no passado remoto fora a fonte do ouro dos faraós. Diferente do esperado, a tal mina possui um papel secundário até o terço final do livro, onde começamos a correlacionar todas as informações e a entender os meandros do enredo. Apesar do título fazer referência ao Labirinto, a investigação policial foca no poder das empresas multinacionais, questões ambientais, grupos extremistas e tráfico sexual.

Um dos aspectos mais intrigantes da série é a ambientação, onde as histórias transcorrem no oriente médio. Nosso protagonista, Yusuf Khalifa, é um policial egípcio que trabalha na cidade de Luxor. No segundo livro da série - O Último Segredo do Templo - conhecemos Arieh Ben-Roi, um policial israelense. Contrariando todas as diferenças culturais e religiosas que poderiam afastar os dois personagens, Khalifa e Ben-Roi se tornam grandes amigos. 

Em O Labirinto de Osíris, Ben-Roi está de volta e se destaca na maior parte da história. A investigação de um assassinato é iniciada em Israel, mas as pistas acabam conectadas a eventos que aconteceram no Egito. É nesse ponto que Ben-Roi pede o auxílio de khalifa para dar continuidade à investigação no lado egípcio.

A narrativa de Paul Sussman não permite uma leitura acelerada, o leitor tem que digerir, cuidadosamente, todos os fatos que estão sendo apresentados. A história nos leva por vários caminhos paralelos, cada um apresentando um braço isolado dos acontecimentos, e que, inicialmente, não acreditamos ser possível se convergirem. Confesso que pensei que o autor iria se perder, que seria praticamente impossível ligar todos os pontos de forma coesa e sem pontas soltas. Mas eu estava enganada! Tudo se encaixou de maneira convincente.

Com a morte do autor, é impossível saber se O labirinto de Osíris seria realmente seu último livro. Mas o final da história foi tão impactante, que faz jus a um desfecho de série. Fiquei um tanto triste, em parte devido aos desdobramentos da história, mas também por me dar conta de que não teremos outro livro de Paul Sussman.

O que posso dizer? Paul Sussman não é uma autor muito conhecido no Brasil, mas ele merece uma chance. Aos fãs de thrillers policiais, caçadas arqueológicas, conspirações e uma pitada de fantasia… Leiam!! 

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL