target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

"O ÚLTIMO SEGREDO DO TEMPLO" (Paul Sussman)

- É nosso dever como muçulmanos nos opormos aos "yehudi-een" com toda a nossa força... - Pois eles são uma raça ignorante, uma raça ambiciosa e mentirosa de assassinos, os inimigos do Islã...
- Vocês falam com a cobra venenosa? É melhor que eles sejam amaldiçoados, sejam expulsos, eliminados da face da Terra como os animais peçonhentos que são. Este é o nosso dever como muçulmanos...
- "Al-Maoot li yehudi-een!" - Morte aos judeus!
Pag. 236
~~~*~~~
Não é todo dia que se consegue uma visita particular no maior sítio arqueológico do Egito. O inspetor Yusuf Khalifa não estava ali a trabalho, mas um corpo fora encontrado nas proximidades e sua presença solicitada. 
O cadáver era de Piet Jansen, um arqueólogo holandês que supostamente fora assassinado. Ao investigar a morte de Jansen, Khalifa encontrou indícios alarmantes. Aparentemente esse caso estava relacionado com o assassinato de uma israelense ocorrido há 13 anos.
A sensação de ter errado no passado era inquietante demais, e Khalifa decidiu investigar novamente o caso da mulher judia. Porém, em um dado momento, ele se encontrou em um beco sem saída. Não havia mais nenhuma pista a seguir no Egito, e sua única opção era rastrear o passado da vítima. Agora, ele precisaria  solicitar a ajuda da polícia de Jerusalém, e um amargurado e arrogante policial, Arieh Ben-Roi, cruzou seu caminho. 
Mesmo com todas as diferenças e não gostando da situação, Khalifa e Ben-Roi percebem a importância daquela investigação. Estão decididos a cavar até o fundo do poço para descobrir novas pistas.
E uma dessas pistas aponta para a jornalista palestina Layla al-Madani. Layla é muito importante e querida entre os palestinos, seu trabalho é visto como de suma importância para alertar seu povo contra os horrores impostos pelos judeus. Um dia, Layla recebe uma estranha carta, um pedido de ajuda para contatar um dos maiores terroristas da Palestina. O conhecimento da existência de uma inestimável relíquia e uma suposta arma, que destruiria os judeus de uma vez por todas, estava sendo oferecido. Mas que arma seria essa? A única pista que Layla recebeu foi uma cópia de uma carta codificada escrita na idade média. Ela deveria decifrá-la se quisesse conhecer esse terrível segredo.

O objetivo em comum, de encontrar essa relíquia arqueológica, uniu Khalifa, Ben-Roi e Layla. Para evitar uma guerra declarada entre judeus e muçulmanos, eles deverão correr contra o tempo e descobrir o paradeiro desse inestimável e perigoso tesouro. 
~~~*~~~
"O Último Segredo do Templo" é o segundo livro da trilogia Yusuf Khalifa escrita por Paul Sussman. Bem, mais uma vez iniciei uma série fora de ordem. Mas dessa vez foi por distração minha, pois o primeiro volume foi publicado anteriormente, porém sob o selo da editora Record. 
Um thriller inteligente, repleto de mistérios, suspense e uma caçada arqueológica que coloca o leitor no meio de um embate entre israelenses e palestinos no Oriente Médio.

"A resposta inteligente ao Código Da Vinci". Esta frase se encontra na capa do livro, e confesso que não entendo o motivo dessa afirmação. Após O Código Da Vinci toda obra que aborda algum segredo arqueológico ou enigma é colocado na mesma panela. A única semelhança que consigo enxergar é uma corrida contra o tempo para desvendar um segredo. A trama de Paul Sussman transcorre de forma mais lenta, mas é mais substancial e crível. Nesse livro você não encontrará sociedades secretas por trás do mistério, porém encontrará elementos muito mais reais e palpáveis. Encontramos facções terroristas, ódio arraigado por milênios, guerras e assassinatos em nome Deus, intolerância, e como não poderia faltar, uma intrigante investigação policial. 
Em "O Último Segredo do Templo" a fantasia existe, mas o autor nos apresenta um thriller que explora muito da realidade. Temos de um lado os israelenses (judeus) e de outro os palestinos (Muçulmanos), ambos lutando, com as armas que possuem, pelo direito de ocupar a mesma faixa de terra.

A principio Sussman nos bombardeia com informações que parecem desconectadas.Vários núcleos são introduzidos na história e ficamos sem entender a relação entre essas tramas paralelas, mas tudo se converge de maneira coesa.

O mistério que envolve a importante relíquia arqueológica nos leva em um passeio pelo mundo, passamos por Jerusalém, Luxor, Cairo, Languedoc e terminamos nas montanhas ao sul da Alemanha.
Eu adoro quando uma história me desafia a ligar todos os pontos chaves e confesso que demorei para correlacionar todas as pistas. Mas quando tudo se revelou, quando descobrimos a motivação de tanto ódio e os verdadeiros vilões, não os passionais homens bombas ou terroristas, mas os manipuladores do ódio e da fé...foi uma surpresa.

Os personagens são incríveis. Descritos de forma detalhada e valorizando todas a suas qualidades e fraquezas. Eles são cheios de defeitos, vícios, ideias tendenciosas e intolerantes.

Bem...acho que escrevi demais, mas o tema desse livro é complexo. Sua complexidade não está só na trama intrincada, cheia ramificações que muitas vezes confunde o leitor, mas está também na abordagem do conflito que todos sabemos que existe.
"O Último Segredo do Templo" é um livro que agradará os amantes de romances policiais, com uma generosa dose de mistério, suspense e uma fascinante caçada arqueológica. Para mim, valeu cada página lida.


Sussman, Paul. O Último Segredo do Templo. Bertrand Brasil, 2009. 516 p. (Yusuf Khalifa, Vol. 2)

17 comentários:

  1. Uau, Hérida, que resenha fascinante. Me conquistou! Eu sou fã de policiais e pelos fatores que vc passou na sua resenha, agora não posso deixar de ler. Fiquei intrigada e curiosa a respeito da história. Mais um pra listinha! Parabéns pelo excelentíssimo trabalho.

    Beijo

    Eliane (Leituras de Eliane)

    ResponderExcluir
  2. Oi Herida!!!
    Fam um tempão que quero ler esse livro, mas sempre acabava comprando outro no lugar, até mesmo pq ele estava sempre com um preço "salgado".
    Essa é a primeira resenha que leio sobre ele e confesso que fiquei ainda mais iteressada.
    Sua resenha nos deixa curiosa para juntar todos os pontos e desvendar o mistério.
    bjs
    PS: Sua mão está mehor??

    ResponderExcluir
  3. ADORO esses livro diferentes q vc traz aki!!! Adorei a resenha!!! Bjos!!!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ei Hérida,

    Não conhecia e achei bem interessante, o autor também não conheço ainda aiai.

    Tbm odeio quando eles colocam estas citações sem noção em todos os livros. Tudo de sobrenatural agora tem que ter frase de Meyer aff

    bjoo

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro suspense. Já está na lista!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ah! Ei tinha visto esse livro, mas a capa não me chamou atenção. Agora eu quero ler, sua resenha me deixou curiosa.
    Bjk

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha (como sempre ^^)!
    Eu gosto muito de livros desse estilo =) Parece ser incrível \o/


    PS: Odeio quando ficam comparando um livro com outro de grande sucesso... detesto ler "o novo código da vinci", "o sucessor de Harry Potter", "mais apavorante que Stephen King"... Confesso que já desisti de comprar livros por levarem na capa essas comparações esdrúxulas. No fundo, quando encontro essas comparações, sinto que o livro é ou uma cópia do estilo da obra/série/escritor/etc ou então é tão ruim, que se não for comparado ninguém quer...

    ResponderExcluir
  8. Oi Hérida,
    Nem precisei chegar na metade da resenha para saber que quero ler esse livro!! Sou muito fã desse tipo de história!! Meu escritor favorito do gênero é o Sam Bourne, mas novos autores são sempre bem vindos!!
    beijos
    Camila

    ResponderExcluir
  9. Quando saí o resultado da próxima mega-sena? Estou precisando de dinheiro urgentemente para comprar todos os livros que estão aflorando na minha lista, rs... Maravilhosa a resenha, querida. Incrível. Despertou completamente a minha curiosidade e agora preciso desse livro, já que ADORO tramas policiais, intricadas, com segredos e complexidade. *-*

    Beijos,
    Nana.

    http://bellosromances.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Eu adoro esse estilo de livro. Valeu pela dica
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. A capa não chama atenção, mas a resenha me deixou curiosa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Nossa, gostei muito da sua resenha.

    Me interessei bastante pelo tema da história. Além de ser um romance policial, e cheio de mistérios, ele aborda um assunto delicado, mas com certeza, muito interessante de se ler, que é o conflito entre israelenses e palestinos.
    Já está na minha lista!

    bjuss

    www.huntersculture.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Gostei da resenha Hérida... mas esse livro não me chamou muito a atenção... não sei, acho que foi a capa... o tema... =S Eu tenho um negócio com capas... rsrsr

    Bjusss

    ResponderExcluir
  14. Oi!

    Resenha incrível!
    Esse livro e O Exército Perdido DE Cambises tá na minha lista desde o lançamento.
    Aliás, a BB tem livros ótimos!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  15. Nossa, a resenha me conquistou completamente. Não tinha ouvido falar nesse livro ainda, mas gostei muito da premissa. Especialmente por você falar que ele é bem diferente dos livros do Dan Brown, mais crível e complexo. Gosto dos livros do Dan Brown, mas eles sempre me parecem muito rasos, apesar de divertidíssimos.

    ResponderExcluir
  16. Hérida, esse é o segundo livro da série, mas tem alguma correlação com o primeiro???

    Bom, a trama parece ser instigante, e confesso que me atreveria a VER se fosse um filme =)
    Dan Brown? Não tenho vergonha em falar que nunca li e não tenho vontade de ler, mas assiti todos os filmes e sou fã do prof Landon =)

    Gostei da capa ( pelo menos a parte de cima, sem bandeiras), e Amei a resenha, completa como sempre!

    bjusssssssssssssss

    Como vc falou que o estilo de narrativa do autor não permite uma leitura rápida, eu tenho certa tendência em desanimar, quando o ritmo não me atrai. Descrições demasiadas me cansam.
    Por outro lado, há toda a simbologia da trama ao ter raiz aparentemente teológica e isso definitivamente me atrai, além, é claro, de cenários como Jerusalém, Cairo e montanhas da Alemanha...

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL