target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

"O ARQUEIRO" (Bernard Cornwell)

Thomas pouco estava ciente de tudo aquilo. Não sentiu coisa alguma enquanto Sir Simon o revistava e cortava a bolsa de dinheiro que estava sob a sua túnica; não percebeu nada quando a corda foi atada em torno de seu pescoço, mas sentiu levemente o fedor de urina de cavalo e de repente houve um aperto na garganta e sua visão, que se recuperava devagar, foi coberta de vermelho. Sentiu-se lançado no ar e depois tentou arfar com a terrível dor que Ihe envolvia a garganta, mas não conseguiu, e mal podia respirar; sentia apenas uma ardência e um sufocamento quando o ar fumacento arranhou a traquéia. Quis gritar de medo, mas os pulmões nada podiam fazer, exceto provocar-lhe agonia. Teve um instante de lucidez ao perceber que estava pendurado, sacudindo-se e contorcendo-se, e embora escarafunchasse no pescoço com os dedos encurvados, não conseguia afrouxar a estranguladora pressão da corda. Então, aterrorizado, ele se mijou.
 ~~~*~~~
Thomas vive em uma pequena aldeia inglesa, chamada Hookton. Filho de um padre e de uma governanta, foi muito bem educado e preparado para ser também um sacerdote, mas o sua verdadeira vocação era ser soldado. Sua paixão é o arco longo, que aprendeu a fazer e manusear com o avô e assim, se tornou um exímio arqueiro. Sua vida muda drasticamente quando seu povoado é atacado por franceses. O que aparentemente era apenas um saque comum da época, se mostrou uma demanda planejada por um misterioso homem chamado de Arlequim. Este queria a qualquer custo recuperar a lança de São Jorge, uma relíquia religiosa que estava em poder do Pai de Thomas.

Thomas com apenas 18 anos, vê seus pais serem assassinados e jura diante de seu pai agonizante, recuperar a lança e vingar sua morte. Deixa sua aldeia e se une a um exército mercenário de arqueiros a serviço da Inglaterra. Durante sua jornada como arqueiro, se mostra um soldado inteligente e corajoso, além de um grande estrategista. Porém tenta se esquivar de sua promessa e esquecê-la, sua dor já foi aplacada e perdeu o desejo de vingança... só quer lutar. Sem ideias surpersticiosas e preconceituosas, é amigo de assassinos, estupradores e ladrões...companheiros de luta. Mas, não tolera a mentira e a crueldade de homens inescrupulosos e adquire um inimigo implacável entre os próprios ingleses.

Se apaixona por uma nobre, a Condessa Jeanete, e pensa que é correspondido. Mas em seu devido tempo, ela mostra sua verdadeira face e abandona Thomas por interesses mesquinhos. Magoado pela traição de Jeanete, decide voltar à luta e esquecê-la. Inesperadamente, vê a chance de recuperar a lança e cumprir sua promessa.

Ao conquistar uma cidade francesa, sai em busca do homem que invadiu sua aldeia e acaba por salvar sua filha bastarda, Eleanor, de um estupro. Descobre que tal homem, Sir Guillaume, não é o Arlequim e que a lança não está em seu poder. Sir Guilaume também foi vitima do cruel Arlequim, mas ele sabe quem é este homem.

Arlequim significa cavaleiro do Demônio e este é o apelido de Guy Vexille. Os Vexille foram os governantes de Astarac, um condado nas fronteiras de Languedoc e Agenais. Os condes de Astarac eram cátaros e rejeitavam a igreja. A insígnia da família Vexille era um Yale segurando um cálice e há rumores de que os hereges cátaros possuíram o Graal.

Thomas conhece essa insígnia, seu pai a possuía...mas, como? Então... o destino o coloca frente a frente com o passado de sua família e o segredo do Graal. Seu juramento é colocado à prova quando descobre que descende dos Vexille e de integrantes da lendária seita catara. Agora, sua busca está além de sua imaginação, além da lança de São Jorge...deve recuperar o Graal. Sir Guillaume (francês) e Thomas (inglês) se tornam aliados no desejo de vingança e na busca das relíquias sagradas.Thomas e Eleanor se apaixonam e partem juntos para a frente de batalha...irão se casar. Mas antes, enfrentarão a dor e as privações da guerra. E no calor da batalha, quando Thomas menos espera, sua promessa começa a ser cumprida.
~~~*~~~
“O Arqueiro” é o primeiro livro da trilogia A Busca do Graal e foi a minha estreia com Cornwell. E posso afirmar, com toda certeza, que me tornei uma fã fiel e ainda lerei muitos outros livros do autor.
Não são poucos os autores que seduziram os leitores com armaduras e espadas, além da busca incansável pelo Santo Graal. Um assunto tão explorado, pode parecer repetitivo, além de nos fazer pensar que não há mais o que falar sobre o tema. Ledo engano. Ler sobre a busca incansável do Graal...é diversão garantida! E quando me deparo com uma trama um pouco diferente ou que consiga inovar tais buscas, me perco dentro da história.
Thomas é diferente, não é descrito como um homem bonito, ele possui marcas da guerra e nariz torto devido à fraturas. Me pareceu um homem forte e exótico, diferente dos demais, possui os cabelos negros e bem longos, que são amarrados com cordas de arco...é delicioso imaginá-lo! Às vezes é indeciso em relação as mulheres, ama e as esquece com facilidade. Mas sempre com grande fervor. É cristão, mas não extremista e convive de forma pacifica com "quase" todos. Defende aqueles que ama e luta com prazer, mesmo que o objetivo da batalha não corresponda ao seu ideal. Me apaixonei por ele! 

A Guerra dos Cem Anos aconteceu entre os anos de 1337 e 1453 e envolveu os reinos da França e Inglaterra. Foi a principal e mais sangrenta guerra europeia do período medieval. As descrições das batalhas são de encher os olhos. É possível vivenciar a apreensão dos arqueiros, sentir a tenção da corda do arco e ouvir o zunir da flecha em pleno voo. A loucura que atinge os soldados e a crueldade vista como "natural" durante a guerra, também é relatada de forma crua.

Sem querer tecer muitos elogios...o que é quase impossível para uma apaixonada por históricos, a trama é muito bem fundamentada, o que a torna mais verossímil. Os personagens são bem construídos, sem excessos de heroísmo, com interesses e ambições de pessoas comuns, capazes de atos nobres e também desprezíveis. O final do livro resolve muitas questões, mas há um gancho para a continuação, que deixa o leitor curioso e impaciente para acompanhar a aventura e a busca de Thomas de Hookton. É um livro para ser devorado!

Cornwell, Bernard. O Arqueiro. Record, 2003. 442 p. (série A Busca do Graal, Vol. 1)

11 comentários:

  1. Do autor só li a trilogia do Rei Artur. Maravilhoso!!!! Essa trilogia não sai da minha estante de jeito nenhum! E estou louca para ler esse livro (série) tb Hérida! Seu post me deixou com mais vontade rsrs
    Parabéns pela indicação!
    Bjssss
    Lili

    ResponderExcluir
  2. bastante bom este post, parabens, não conhecia este livro do cornwell, tal como a lili, so li as crónicas do senhor da guerra. bastante bom.

    ResponderExcluir
  3. Que bom que vc curtiu sua leitura... parece mesmo ser interessante, mas minha lista tá tão compriiida... quem sabe um dia, rs..

    Bjs! :)

    ResponderExcluir
  4. Hérida, que livro incrível, eu coloquei esse autor na minha lista a um tempinho, mas ainda não comprei nada.

    Ah, e consegui comprar Labirinto. :) Agora falta Sepulcro.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Hérida, não li nada do autor.

    A cada comentário fico ainda mais certa que vou gostar.

    Bjos,

    ResponderExcluir
  6. Hérida!!!!
    Voltou de viagem com a corda toda!!!
    Bernard Cornwell é um de meus autores preferidos! Pena que seus livros nunca estão em promoção e são sempre "salgados"!
    Estou justamente com este livro na estante, emprestado por minha tia!!
    Mas tem TANTA coisa na fila...estou perdendo o controle!
    Bj

    ResponderExcluir
  7. Héryda,
    Postei recentemente sobre o mesmo livro, estou simplismente 'louca' para ler este que parece ser senscional, leitura que se agrege conteudo.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  8. Eu to louka para ler esse livro, adorei como o descreveu. Há o nome do blog ta atualizado em descrições, se por acaso não mudar da proxima vez que entrar tente me add novamente a sua lista de blogs...beijkas e agradeço a visita...te mais flor...bom fim de semana!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Hérida, tudo bem , flor??

    Eu amei sua resenha, e preciso te dizer: coloquei mais que rapidamente na minha lista!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. eu quero MUITO ler esse livro... mas minha lista enorme de livros na estante não lidos olha feio pra mim toda vez que penso em comprar novos livros... rs

    sobre a jean plaidy, eu nunca li nada dela, o livro que está na minha lsita do desafio vai ser o primeiro... mas ela é bastante famosa, pelo que li. de qualquer forma, como adoro a idade média, eu escolhi mais pelo tema do que pela autora, sabe?

    beijos!!

    ResponderExcluir
  11. Eu amo essa coleção...li todos, mas todos fora de ordem e amei.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL