target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

“INFINITO” (Alyson Noël)

— O que quero dizer é que toda essa coisa de elixir e, bem...meu argumento é que não é natural, sabem? Nós não somos feitos para ter imortalidade física. Por isso existe a alma. A alma é nossa parte imortal. Ela volta em um ciclo infinito, pelo que vi, mas nunca morre. Devemos transcender o mundo físico, não...não ficar nele e apenas nele...
— Vocês não deviam encarar o mundo físico como se fosse uma última parada, como se fosse tudo que existe. 
Pag. 31

"Os Imortais" foi uma longa jornada que, após uma sucessão de encontros e desencontros, chegou ao fim. Minha experiência com os livros da Alyson Noël não foi uma das mais gratificantes, e confesso que foi com muita determinação e teimosia que cheguei até aqui. Hoje, vocês conhecerão minha opinião sobre Infinito, livro que encerra a série.
~~~*~~~
(pode conter spoiler para quem não leu os livros anteriores)

Ever e Damen conseguiram derrotar os inimigos que atrapalhavam suas vidas, mas ainda há obstáculos a serem superados antes de se amarem plenamente. Damen continua envenenado, o que impede que eles vivam a paixão pela qual anseiam há séculos. Encontrar o antídoto, para livrá-los dessa maldição, é a única solução.

Mas uma visão inquietante desviou a atenção do casal de seus problemas pessoais. Nas profundezas de Summerland a magia não existia mais e algo sombrio e pútrido estava infectando aquele local de sonhos. Ever já havia visto aquele lugar lúgubre em seus sonhos e sentia como se tudo estivesse mudando por sua causa.
Uma velha senhora chamada Lótus, que rondava essa parte desolada de Summerland, alertou Damen de que ele era a razão e Adelina a cura… Mas quem é Adelina?
Lótus ainda tinha muito a dizer. Entoando uma canção perturbadora, a velha transmite uma mensagem que, em seu significado obscuro, poderia estar encerrada a chave desse mistério.

Damen não quer mais problemas e está convencido de que Lótus é apenas uma mulher solitária e louca. Tudo o que importa é encontrar o antídoto. Mas Ever não consegue esquecer a canção e o olhar de acusação daquela velha senhora. Contrariando a vontade de Damen, Ever decide desvendar esse enigma.

Em uma jornada de autoconhecimento, dolorosas verdades serão reveladas a Ever e Damen… a origem de seu relacionamento, a magnitude de seu vínculo e descobrirão que há um preço a pagar pela imortalidade. Existe um motivo para o destino insistir em mantê-los separados por tanto tempo. Agora, não há mais como ignorar a verdade e uma escolha deverá ser feita… uma escolha que poderá pôr em risco a vida eterna.
~~~*~~~
“Infinito” é o sexto e último volume da série Os Imortais escrita por Alyson Noël. Depois de tanto exercício de paciência, eu gostaria de ter lido um desfecho mais emocionante e traçado com esmero.

O livro desfia a linha da verdadeira imortalidade e reencarnação. Para embasar todas as ações dos protagonistas até o momento, a autora desmembrou o conceito de espiritualidade, sentido da vida, imortalidade da alma, carma e perdão. Na realidade, isso já era esperado, pois Noël sinalizou que tomaria esse rumo durante toda a série. Porém, achei que o tema teve uma abordagem excessiva...ficou repetitivo.

Do início ao fim, “Infinito” desfia uma ladainha interminável sobre lições de espiritualidade. Não vejo problema em explorar o assunto e transmitir mensagens que possam levar o leitor a uma reflexão, aliás, é sempre bom sairmos com algo positivo de uma leitura. Porém, eu esperava que a “espiritualidade” estivesse entremeada a um enredo com mistério, suspense, ação e romance. Mas não é isso que acontece.
O perdão cura… Tudo é energia… Pensamentos criam… Estamos todos conectados… Quando se resiste, a situação persiste… O amor verdadeiro nunca morre… A imortalidade da alma é a única imortalidade real…
Pág. 169
Confesso que cheguei a pensar que “Infinito” havia sido psicografado… rsrs

Alguns fatores acabaram desviando minha atenção, como: furos, pontos contraditórios na trama e elementos que forçaram demais a barra. Não consegui, de forma alguma, me entregar à história. Uma pena…

Devido ao mote denso, a evolução da história é mais lenta. Em compensação, a narrativa da autora é muito bonita e gostosa de ler. Um ponto interessante é que a autora inverteu os papéis dos protagonistas. Damen – que era o mais centrado – está indeciso e perdido, já Ever – que era a imatura – cresceu e se impôs na história.

Gostei da solução encontrada para Damen e Ever, foi uma conclusão satisfatória. Em contrapartida...pobre Jude! Foi jogado de um lado para o outro, e não chegou a lugar nenhum. Alyson Noël literalmente o deixou sem um final decente…ficou no vácuo. 
 
Enfim, “Infinito” não foi o desfecho de série que eu esperava. Mas eu tinha que lê-lo, pois não poderia abandonar o barco depois de toda irritação que passei com a Ever. Saber o final era uma questão de honra!
Após ler algumas resenhas, estou com a impressão de que sou a única frustrada. Se você também leu “Infinito”, me diz o que achou!

Noël, Alyson.Infinito. Intrínseca, 2011. 239p. (Os Imortais, Vol. 6)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL