target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 16 de maio de 2012

“ENCARCERADOS”– Fuga de Furnace (Alexander Gordon Smith)

  “Sob o céu está o inferno. Sob o inferno, a Penitenciaria de Furnace.”

Foi ali, segurando as grades da cela como se fossem meus únicos amigos, que eu ouvi pela primeira vez a sinfonia de Furnace. Começou com soluços, que se elevaram da escuridão e me envolveram como o som de cordas suaves em uma orquestra. Eram lamentos tranquilos sufocados pelos inúmeros músicos que os produziam, fundindo-se, de todos os níveis, para criar uma fonte de som que corria para o pátio deserto lá embaixo.
Pág. 88
~~~*~~~
Alex Sawyer era um garoto metido a valentão, desde os doze anos extorquia dinheiro dos colegas mais fracos. Não demorou muito para evoluir do bullying para delitos mais graves, os trocados conseguidos no colégio já não eram suficientes. Na companhia de seu melhor amigo, Toby, ele começou a invadir e furtar residências na vizinhança.

Até que um dia…sua sorte acabou. Enquanto vasculhavam uma casa vazia, foram surpreendidos por um grupo de homens estranhos. Aquele foi apenas o começo de seu pesadelo. Naquela noite, Toby fora assassinado a sangue frio e, Alex, acusado pelo crime.
Depois do chamado “verão do massacre” – quando gangues saíram pelas ruas matando por diversão – o governo adotou um regime de tolerância zero em relação aos crimes cometidos por jovens. As forças policiais se tornaram linha-dura e construíram a penitenciária de Furnace – a prisão de segurança máxima mais rígida do mundo para jovens infratores. 
Mesmo sabendo de tudo isso, Alex nunca imaginou que seu fim seria a danação eterna naquele lugar. Depois de entrar em Furnace, só é possível sair de lá em um caixão…

Quando chega a Furnace ele se depara com algo além de sua imaginação. Aquele lugar não era normal… ele nunca estaria seguro ali. Alex precisa estar sempre alerta e esperar para que não fosse o próximo a morrer. Mas em Furnace, enfrentar a morte é o menor de seus temores.
Ali, naquele buraco do mundo, Alex descobre que a prisão é o verdadeiro inferno. O diretor era a encarnação do próprio demônio, os seguranças perversos e os cães de guarda malignos. Mas isso não era o pior. Quando Furnace era tomada pela escuridão, na calada da noite, “eles” vinham escolher quem seria levado…

Alex sabia que um dia chegaria a sua vez, mais cedo ou mais tarde, “eles” viriam buscá-lo. Não há saída, nem esperança… sua única opção é fugir de Furnace.
~~~*~~~
"Encarcerados" é o primeiro volume da série Fuga de Furnace escrita pelo britânico Alexander Gordon Smith. Ainda estou tentando assimilar meu entusiasmo, pois li durante oito horas seguidas e só consegui largar o livro depois de terminá-lo. A trama se desenrola de tal forma que o leitor é sugado para dentro de um universo irreal e sufocante.
Não sei bem como definir  Fuga de Furnace; pode ser ficção científica, suspense com um toque de terror, mas o enredo também possui elementos característicos de distopias.

É óbvio que Furnace não é apenas um depósito de criminosos, entre as paredes da prisão acontecem coisas estranhas e muito assustadoras. O autor revela pouco sobre o segredo de Furnace, ele deixa o leitor em suspenso e ávido por entender qual seu real objetivo.

A ambientação do livro é unidimensional, a história toda é desenvolvida dentro de Furnace. Isso poderia representar um ponto negativo, mas Alexander Gordon Smith descreve a prisão de forma muito vivida. Furnace é obscura, fria e monocromática; a atmosfera é quente e sufocante; os jovens encarcerados são instáveis, a falta de expectativas é opressiva demais e, para muitos, a única saída é a morte.

Os personagens são caracterizados de forma muito verdadeira. Alex não é nenhum herói invencível, pelo contrário, é extremamente humano. Ele grita, chora durante o sono, vomita em resposta ao pânico…
Bem, dizer que Alex tentará fugir não é nenhum spoiler, pois o nome do livro já nos conta esse fato. Desde que Alex botou os pés nessa prisão, ele pensa em encontrar uma saída. É nesse ponto que faço minha única crítica…

Eu comprei a ideia da fuga e a oportunidade apresentada me pareceu verossímil, mas o plano elaborado não me convenceu totalmente. Excetuando isso, só posso dizer que achei o livro incrível.
Encarcerados – Fuga de Furnace foi uma leitura de tirar o fôlego… um pesadelo. Com certeza entrará para o Top 10 de 2012. 

Smith, Alexander Gordon. Encarcerados. Benvirá, 2012. 304 p. (Fuga de Furnace, Vol. 1)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL