target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 17 de março de 2014

“A ESPOSA VIRGEM” (Deborah Simmons)


— Se você pensa que me molestar lhe dará a sensação de triunfo desejada, vá em frente, me possua – disse ela, despindo o vestido e jogando-o no chão. — Mas eu o aviso de que não importa o que faça para mim, eu jamais darei nada em troca. (…)
(…) — Eu não a possuiria nem que você fosse a única mulher da Terra. Prefiro me satisfazer até com a rameira mais suja – declarou Nicholas coma voz mais áspera.
p. 100 – 101.
~~~*~~~
Bretanha, Idade Média

Após lutar nas cruzadas e ser abandonado para morrer na Terra Santa por seu vizinho Hexham, Nicholas de Laci tinha apenas um propósito na vida… vingança. Mas seu desejo jamais seria realizado, Hexham estava morto e sua derrota não fora perpetrada por suas mãos. Ele nunca se libertaria desse fantasma negro. Nicholas jamais o veria soluçar e, assim, não sentiria o prazer da vingança tão arraigada em sua alma.

No entanto, o destino lhe deu uma segunda chance de tentar apagar as marcas que seu inimigo havia deixado. O rei Eduardo ordenou que Nicholas se casasse com a sobrinha de Hexham, e ele se vingaria de sua descendente sem qualquer sombra de remorso.

Decidido a fazer a moça sofrer pelos pecados do tio, Nicholas planeja descarregar todo seu ódio sobre ela. Mas Sophie Haxham não era uma mulher que se dobra facilmente. Ela mexeria com os sentimentos do marido como ele jamais imaginara. Sophie e Nicholas travarão uma batalha ardente de ódio e paixão, onde o único vencedor é o amor verdadeiro.
~~~*~~~
A Esposa Virgem é o segundo volume da série “De Lacis” de Deborah Simmons. Quando li Bodas de Fogo – primeiro livro – me apaixonei pela história de Isadora e Piers Montmorency – o Cavaleiro Vermelho. O enredo é apaixonante e logo em seguida comprei a continuação da série. A sequencia sobre o irmão de Isadora – aqui chamada de Aisley – não é tão encantadora quanto o primeiro livro, porém foi um leitura descontraída. Aliás, característica da maioria dos romances de banca. Gostaria de fazer uma observação: Em Bodas de Fogo o nome da protagonista foi traduzido para Isadora, porém a editora manteve o nome original de Isadora/Aisley em A Esposa Virgem. Vai entender…

Nicholas de Laci é um homem marcado pelo ódio e que vive em função desse sentimento. Seu único objetivo é realizar a tão sonhada vingança e, para isso, ele deixa de lado o cavalheirismo, educação e valores morais. Na verdade, Nicholas é um ogro! Além de ser turrão, o rapaz me pareceu extremamente imaturo. As justificativas que dava a si próprio para levar a cabo sua vingança são inconsistentes e despropositadas.
Até a metade do livro achei toda situação criada pela autora um verdadeiro porre. Aquela ladainha de vingança, de fazer Sophie sofrer pelas ações do tio se torna chata com o tempo. O que salvou essa fase do livro foram a personalidade de Sophie, a criada Edith com seus conselhos e as situações ridículas que me fizeram dar algumas rizadas. Irônico, claro – mas acabei me divertindo.

Felizmente do meio para o final a autora introduz um “draminha” básico que faz Nicholas repensar suas ações e um conflito que insere um pouco de ação na trama. Foi o que deu fôlego à leitura e me fez acabar curtindo bastante o livro no final das contas.

Sophie Hexham é uma heroína perspicaz, determinada e uma mulher de brio. Gosto de mocinhas que desafiam seus opressores e acabam “quebrando” aquela armadura de homem machão e inflexível. Porém, continuo achando que Deborah Simmons pesou a mão no início do livro na caracterização de Nicholas. Frio, indiferente, mimado, infantil… um asno.
Os protagonistas de Bodas de Fogo possuem uma participação secundária nesse romance, porém foi muito gostoso reencontrar Aisley e Piers. Um personagem que se destaca é Darius, o amigo sírio de Nicholas, mas que é pouco explorado. Há um certo mistério em torno de sua figura, mas nada é revelado. Uma pena, adoraria saber mais sobre Darius.

A Esposa Virgem é um clássico dos históricos românticos de banca. Leitura obrigatória para os fãs do gênero e para quem curte história de redenção através do amor. Fofo, não?

*A Esposa Virgem foi o livro escolhido na última enquete Escolha do Leitor.


Simmons, Deborah. A Esposa Virgem. Nova Cultural, 1997. 220 p. (De Lacis, Vol. 2)




Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL