target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

“BONECO DE NEVE” (Jo Nesbø)

"Medo. Adrenalina tem um cheiro bem peculiar. Mas você sabe tudo sobre o assunto. (…) É um cheiro bastante estimulante, não acha? Eu li que é o cheiro que alguns carnívoros usam para encontrar suas presas. Imagine a vítima, trêmula, tentando se esconder, mas sabendo que o cheiro do próprio medo irá matá-la". 
p. 53
~~~*~~~
Sinopse:

Novembro; a primeira neve do ano cai sobre a fria cidade de Oslo. O pequeno Jonas acorda no meio da noite e percebe que sua mãe não está em casa. Ele caminha pelos corredores silenciosos, até se deparar com pegadas molhadas na escada. No jardim, nota uma figura solitária: um boneco de neve sob a luz da lua, com os olhos negros voltados para a janela do quarto. Em torno do pescoço branco, um pano cor-de-rosa, a echarpe que o menino deu à sua mãe no Natal. 

No dia seguinte, a polícia é acionada pelos vizinhos, e o inspetor Harry Hole é chamado. Embora seja comum que desaparecidos retornem justificando o sumiço com um motivo banal, ele suspeita haver uma ligação entre o destino da mãe de Jonas e uma carta que recebeu assinada pelo autointitulado “Boneco de Neve”. Enquanto avançam nas investigações, o inspetor e sua equipe se deparam com vários casos similares não solucionados na última década: sempre mulheres casadas e com filhos, sempre na primeira neve do ano. 

Quando uma segunda mulher desaparece e um macabro boneco de neve é encontrado próximo à floresta onde ela mora, Harry conclui que, pela primeira vez, confronta um serial killer em seu próprio terreno. Porém esse é um assassino que cria suas próprias regras, capaz de quebrar o padrão apenas para manter o jogo interessante, enquanto atrai o inspetor para uma trama complexa e mortal. 
~~~*~~~
Boneco de Neve é o sétimo volume da série policial Harry Hole do autor norueguês Jo Nesbø. Meu primeiro contato com a série foi ao ler A Casa da Dor – um livro mais denso, que prioriza uma investigação policial minuciosa e um desfecho limpo. Em Boneco de Neve percebi grandes diferenças na construção do enredo. Aqui, a estrutura é característica dos thrillers – com um ritmo mais acelerado, uma caçada sensacional a um serial killer e reviravoltas que me deixaram colada ao livro do início ao fim. 

A série Harry Hole é extensa e, infelizmente, não pude ler todos os livros na ordem. Iniciei a leitura acreditando que me depararia com alguns “vazios” na trama, que detalhes dos livros anteriores se mostrariam importantes ao longo do livro. Contudo, Boneco de Neve possui um enredo muito independente e que cita pouco as histórias passadas. Apenas fiquei curiosa em relação à vida pessoal de Harry Hole, que nesse livro luta contra o alcoolismo. A vida particular do protagonista se mostra de grande importância, pois tanto o futuro de sua carreira como a própria solução do caso dependem da estabilidade emocional e psicológica de Hole. É aí que mora o perigo…

Jo Nesbø escreve cenas de suspense incríveis, mas o que mais me agrada é a construção e a evolução da linha de investigação policial. Nesbø não poupa detalhes, e leva o leitor numa corrida contra o tempo para descobrir quem é o assassino – examinando cenas de crimes, coletando pistas, analisando provas e averiguando possíveis suspeitos. Confesso que suspeitei da identidade do serial killer desde o primeiro momento em que apareceu em cena. Matei a charada, porém em vários momentos fiquei na dúvida e transferi minhas suspeitas para outro personagem. Adoro descobrir quem é o culpado, mas gosto mais ainda quando essa conclusão não se dá de maneira muito fácil.

Apesar do livro ser muito bem escrito, as cenas relacionadas aos crimes foram pouco descritas para mim. Eu gosto de emoção e quero ver o sangue jorrar, e Nesbø se acanhou um pouco nas descrições dos assassinatos. O leitor consegue “pintar” o quadro e imaginar a cena, mas senti falta de algo mais explícito. .

O desfecho é empolgante, não só pela solução do caso policial, mas porque Nesbø encerra o livro com uma cena que provoca suspeita. Fiquei com uma “pulga atrás da orelha”!
Para os fãs de thrillers policiais que apreciam histórias bem amarradas, psicopatas sanguinários e cenas de crimes diabólicas… Boneco de Neve é leitura obrigatória!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL