target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 4 de maio de 2011

“EU SOU DEUS” (Giorgio Faletti)

— A santidade está no fim. Por isso, não descansarei no domingo. E da próxima vez as estrelas desaparecerão e todos aqueles que estão embaixo delas.
— O que isso significa? Não entendi.
— Não precisa entender. Basta esperar.
A voz continuou a expor sua insana ameaça.
— Este é o meu poder. Este é o meu dever. Este é o meu querer.
Mais uma pausa. Depois o delírio.
— Eu sou Deus
Pag. 332

“Eu sou Deus” é o segundo romance policial do autor Giorgio Faletti. Uma trama que gira em torno de ódio e vingança, onde o autor explora e esmiúça o psicológico e emocional dos personagens, porém sem se perder no desenvolvimento e na construção da trama policial.
~~~*~~~
Um homem caminha lentamente, porque não precisa correr. Ele não tem rosto ou nome, apenas uma angústia sem remédio, um tormento que lhe atravessa o espírito, uma doença que não acaba nunca.  Em seu ressentido delírio, ele promove a dor, o terror e a…morte.
Mais uma vez, Nova York queima, se transformou no alvo de um assassino em massa.
A polícia não tem pistas de quem está provocando as explosões pela cidade, mas sabe que esse pesadelo está longe de terminar. Russel Wade – um jornalista fracassado - em um golpe do destino faz uma descoberta que mudará sua vida e trará luz sobre os misteriosos ataques.

Em uma explosão de luzes, ambição e etnias -  a metrópole que nunca dorme - não para de crescer. A presença de empreiteiras e novas construções se tornaram uma visão comum. Mas para a detetive Vivian Light esse quadro simples se transformaria no palco de um enigma. Um corpo fora encontrados por trabalhadores, emparedado há 18 anos, o homem esquecido e sem identidade se tornaria mais uma pista importante sobre o caso que está aterrorizando a cidade…
No meio do caos e da desordem, Russel e Vivian serão forçados a trabalhar lado a lado para tentar impedir que novas mortes ocorram.

Mas esse assassino, repleto de orgulho e onipotência, não se contenta em destruir. Ele precisa se justificar, confessar seus crimes para provar seu poder. E padre Michael McKean será o homem que o ouvirá. Em conflito entre seus votos de sacerdote e seu dever como cidadão, padre Michael travará uma batalha interna. Vidas humanas dependerão de sua decisão.
Três pessoas unidas por um assassino, em uma luta contra o ódio e a completa falta de humanidade. Não ha tempo a perder, pois o destino de Nova York depende de um simples apertar de botão.
~~~*~~~

Seguindo a mesma linha de narrativa de seu primeiro livro, Eu Mato, Faletti nos brinda com uma escrita densa e harmônica. A escrita detalhada e descritiva, concede um ar mais sério e intelectual à trama. Essa forma de conduzir a narrativa mantém o livro em um ritmo mais lento, porém o enredo tem mais vigor e profundidade.

A intensidade dos personagens é contrabalançada com a uma trama instigante e repleta de mistérios, permitindo que, enquanto o leitor mergulha no intimo dos protagonistas, também se conecte com a investigação policial.

Vivian Light é uma mulher solitária, que involuntariamente se tornou o arrimo de sua família. Ela carrega o peso de uma irmã doente, de uma sobrinha desajustada e um trabalho que exige dedicação integral. Ela é forte e determinada, mas que está fragilizada pelas intempéries da vida.

Russel é um jornalista que, habilidosamente, consegue alguns privilégios da polícia e passa a acompanhar as investigações em primeira mão, ao lado de Vivian. Nascido em berço de ouro, filho de um magnata; possui uma reputação péssima, é conhecido como imaturo e encrenqueiro, e caiu em desgraça pública. Na realidade, é um homem assombrado por seus próprios fantasmas, cujo reveses de um passado conturbado enfraqueceram seu caráter e sua disposição para lutar.

Nova York que já foi o bastidor de romances, intrigas, tramas políticas e tragédias literárias, mais uma vez se torna o palco de um thriller policial. Em “Eu sou Deus” a loucura, obsessão e o desejo de vingança são as centelhas que incendeiam a mente de um criminoso. Um homem que é ao mesmo tempo um assassino em série e assino em massa, onde suas ações revelam loucura e obsessão. O autor expõe ao leitor a mente do assassino, mas ele não tem rosto ou nome. Esse jogo de suspense e mistério nos distrai, e quando a verdade é revelada, ela nos parece inacreditável e surpreendente. Eu jamais imaginei o desfecho que encontrei. Passei longe!

O enredo foca mais as motivações e o psicológico dos personagens, deixando a ação um pouco de lado. O leitor não encontrará em Eu Sou Deus um thriller cheio de reviravoltas e com um ritmo acelerado, porém o enredo é muito mais intrincado, atravessando diversas pontes entre personagens, lugares e tempo.

Para os fã de tramas policiais densas, inteligentes e cheias de suspense...Eu Sou Deus é imperdível.

Faletti, Giorgio. Eu Sou Deus. Intrínseca, 2011. 368 pag.

17 comentários:

  1. ei Hérida,
    eu adorei esse livro.
    A história é daquelas que prende a atenção mesmo. estou doida para Ler Eu mato, pois só com um livro já virei fã do Giorgio.
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Hérida, essa foi a minha estréia com G.Faletti. Confesso que gostei muito do estilo do autor. Nada aparece por acaso, todos os personagens são explorados e como você falou, o psicológico é muito bem trabalhado.

    Adorei a resenha :-)

    ResponderExcluir
  3. Olá! Já havia lido algumas resenhas deste livro mas, menina, como você faz isso bem! haha Confesso que nem lembrava mais do livro; cheguei a me interessar no princípio, mas depois achei que não ia gostar. E lá vou eu de novo.. sendo carregada pela onda da curiosidade! rs
    Sei que não vou ler o livro logo, mas ele voltou com tudo pra lista! rs ^^

    Beijos, Ju

    ResponderExcluir
  4. Tenho vontade de ler mas acho q leria Eu Mato antes.

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Hérida!

    Muitas resenhas falam bem desse livro. O enredo parece incrivel. Mais um que quero ler. Comprei Eu Mato para ler... se eu realmente gostar do livro e do autor, vou a trás desse para ler. Espero gostar.
    Como sempre, sua resenha é sempre minuciosa e detalhada!

    bjuss

    ResponderExcluir
  6. Olá sua resenha está muito bem definida e me fez ter vontade de ler o livro adorei vou colocar na minha lista.
    Bjus
    Claudia

    ResponderExcluir
  7. Oi Hérida,
    Adorei esse livro!! Apesar de ter descrição demais - e eu não sou chegada - gostei muito da história e fiquei boba com o final!! rs...
    Beijos
    Camila - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Oi!

    Eu adorei Eu Mato, achei impressionante o estilo do autor. Realmente não há muita ação, a coisa é mais psicológica, o que torna tudo a trama doentia e aumenta a tensão.
    Adorei a resenha de Eu sou Deus, pretendo ler logo também.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Deve ser um livro muito bom mesmo,ainda não li o primeiro, mas depois desta resenha do segundo vou procurar ler.
    Adorei.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  10. Faz tempo que estou ensaiando pra comprar esse livro, sempre ouço falar muito bem dele...
    Vou ver se encontro em alguma promoção...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Li Eu mato e adorei! A narrativa me lembrou Stieg Larson...muito bom.
    Esse já está na lista.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. ja ouvi falar desse livro
    acheeeeeei meeeeeega interessante**-**

    ResponderExcluir
  13. Ei Hérida!
    Mais uma vez leio uma resenha de livros do Giorgio que me fazem mto querer le este livro.
    Assim como a Milena aí em cima, senti um toque do Larson (divo!).
    Já está na minha lista de desejados no skoob.
    Vc escreve mto bom... Dá 'água nos olhos' =P
    Bjins

    ResponderExcluir
  14. Ei Hérida,

    Ah eu discordo das meninas, não me lembra o Larsson não, o Larsson se foca na descrição do ambiente, do cenário, do aspecto político e social dos personagens. O Giorgio foca sempre na mente e nas vidas das pessoas. Amo os dois, mas não vejo semelhantes a não ser que ambos são imperdíveis rs.

    Falando da resenha agora rsrs, gostei mais de Eu mato, mas adorei Eu sou Deus tbm e como vc passei longe de acerta o assassino rs.

    bjo

    ResponderExcluir
  15. Adorei a resenha e fiquei com vontade de ler...mas antes quero ler Eu mato....beijokas elis!!!!

    ResponderExcluir
  16. Um livro para ter mais de 2 milhões de exemplares vendidos, deve mesmo ser muito bom e isso ficou constatado através da resenha.
    Quero ler!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  17. Já li maravilhas sobre este livro, e já estou procurando para ler. Bjs, Rose;D

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL