target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

sexta-feira, 8 de julho de 2011

“OS LADRÕES DE CISNE” (Elizabeth Kostova)

Naqueles dias, eu sempre me sentia coberta de secreções…Talvez por isso eu tenha me convertido ao mundo tátil e abandonado o mundo visual…
Minha família, a forma como as pessoas me lambiam e me mastigavam, me beijavam e me chupavam, derramavam coisas em cima de mim – suco, urina, sêmen, água suja. Eu não parava de me lavar, esfregava e secava corpos. Eu queria tornar a ficar limpa, limpar todos eles, mas um segundo antes de eu ter energia para lavar tudo, havia sempre outro tipo de excelência, uma concentração espiritual.
Pag. 182

Elizabeth Kostova narra “Os Ladrões de Cisne” com um olhar minucioso e ímpar. Através de suas linhas, a autora reproduz o universo da arte, disseca a mente humana e explora os sentimentos e as relações entre homens e mulheres. Um romance repleto de matizes, odores e imagens, onde o leitor mergulha em uma história de obsessão, dependência, dor e amor impossível.
~~~*~~~
O médico psiquiatra Andrew Marlow era competente em quase tudo que fazia, era um excelente médico, um pintor talentoso – mas que não desenvolveu sua arte –, porém era um fracasso no amor…um solteirão de meia-idade. Mas sua vida dá uma guinada quando um caso clinico peculiar e desafiador cai em suas mãos.

Um aclamado pintor, Robert Oliver, fora preso ao tentar destruir uma obra de arte do século XIX, um quadro que retratava uma cena mitológica – Leda, sendo possuída por Zeus em sua forma de Cisne. O paciente era ansioso, com períodos de agitação e se recusava a falar. Porém, o sintoma mais grave de Robert era a obsessão. Ele passava horas lendo e relendo um maço de cartas antigas e pintando compulsivamente a mesma dama, uma senhora magnífica…com um rosto extraordinariamente real, cabelo cacheado e escuro, um nariz fino e vestindo roupas de época.
Será que esta mulher é real ou fruto da imaginação de um homem seriamente perturbado?

Seu silêncio era absoluto, e Marlow não conseguia quebrar essa barreira e alcançar a mente de Robert. Ele precisa tentar outra abordagem, mesmo que tenha que infringir todas as regras de sua profissão. Motivado pelo desejo de ajudar seu paciente - mas também pela curiosidade de desvendar os segredos por trás daquela mulher misteriosa – Marlow começa a investigar seu passado.

Ele inicia sua busca entrevistando as mulheres da vida de Robert, sua ex-esposa e sua ex-amante são suas principais fontes de informação. Marlow ouve o relato de conquistas, sucesso e destruição. Uma vida arruinada por um amor obsessivo e irreal. 
Através da transcrição das cartas, ele descobre a identidade da Dama retratada por Robert. Ela é Béatrice de Clerval, uma talentosa pintora que viveu no sec. XIX. A fonte da obsessão e tormento de seu paciente é uma mulher morta.

Mas a jornada de Marlow está apenas começando. Ele ainda precisava descobrir o que provocou o surto psicótico que levou Robert a atacar a tela de Leda no National Gallery. Sua busca o levará à descoberta de paixões proibidas e traições e ao encontro do conhecimento pessoal e do amor que sempre desejou.
~~~*~~~
A história de “Os Ladrões de Cisne” é tecida com complexidade, a trama é intrincada e descreve com minucias de detalhes o ambiente, a arte de pintar e as relações humanas. Os personagens são multíplices e, ao longo do livro, são despidos aos olhos do leitor. São descascados de suas inúmeras camadas de loucuras, remorsos, arrependimentos e paixões; até o ponto de pequenos detalhes do cotidiano ou pensamentos secretos serem compartilhados conosco.
 
O processo de criação é lindamente descrito; a apreensão de uma imagem, a concepção da obra de arte e, finalmente, a expressão artística na tela nos é apresentado de forma realista demais. É possível sentir o cheiro dos álcoois, óleo de linhaça e tintas dos ateliês, e visualizar a textura e suavidade das pinceladas…

Robert é um personagem fantástico, com uma presença forte e marcante. Tem um ar preguiçoso, de quem não liga para aparência e que se dedica quase exclusivamente à sua arte.  Totalmente desatinado, absorto e carismático ao leitor.
Porém, me decepcionei com o desfecho, achei um pouco apressado e sem uma resolução de fato. Fechei o livro com uma sensação de indignação, pois achei que os personagens ficaram resignados demais com a descoberta. Eu queria uma revolta, que eles gritassem para o mundo toda a verdade. rsrs

"Os Ladrões de Cisne" tem um peso descomunal. É um romance de ideias, tempo e lugares entrelaçados; em que os acontecimentos do passado influenciam o presente dos personagens. Não é um livro de passatempo, de leitura fluida e simples; é uma leitura para um público habituado a enredos longos, profundos e extremamente detalhados.

Kostova, Elisabeth. Os Ladrões de Cisne. Intrínseca, 2011. 535 p. 

17 comentários:

  1. Eu AMEI Hérida! E vc?? Um dos melhores deste ano, para mim ;)
    Saudades,
    Alê

    ResponderExcluir
  2. Estou doida para ler esse livro =D A Cada resenha que leio, minha vontade fica ainda maior ^^

    ResponderExcluir
  3. Ei Hérida,

    Eu amei este livro! E também esperava mais do final, depois de tudo que foi revelado. Eu sempre termino o livro e quero saber o depois sabe? O que a ex mulher dele achou de tudo aquilo? o q ele fez da vida? rsrsrs etc.

    Amiga será que algum dia vou ser igual vc e conseguir usar palavras como multíplices nas minhas resenhas? hauhauhauahuahu

    bjos
    Nanda

    ResponderExcluir
  4. Oi Hérida!

    Gostei tanto da sua resenha! Eu gosto de livros bem descrito, mas confesso que alguns chegam a ser monótonos. rsrs
    Mas esse parece ser bem legal.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Hérida!!!
    Com vc e a Alê recomendando é impossivel não querer ler.
    A frase que vc escolheu me deixou MUITO curiosa. Umafrase super forte.
    Euq uero.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Hérida ,

    Esse deve ser um livro para se ler bem devagar apreciando cada parágrafo :-)
    Adorei a resenha :-)

    ResponderExcluir
  7. Nossa, adoro esse tipo de livros! O autor precisa conhecer, e realmente saber o que está fazendo para gerar bons resultados! Vou atrás desse livro!

    Beijos!

    Mariana Sampaio
    Blog Tijolinhos de Papel

    ResponderExcluir
  8. Deve ser um livro em que você precisa gostar mesmo de descrições mais precisas.. Mas a história parece ser bem interessante :)
    Ótima resenha ;D

    bjs
    www.booksemporium.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que livro!é o tipo de leitura que eu adoro. Vou marcar no meus skoob, claro.
    Bju

    ResponderExcluir
  10. Esse livro parece ser do estilo que gosto. Adoro trmas bem escritas e complexas. Gosto de livros que me fazem pensar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Resenha brilhante. Adorei.
    Já tinha lido sobre o livro e achei muito interessante, agora quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. O titulo já é lindo e com esse enredo otimo, não tem como não querer ler! A resenha ficou demais, super criteriosa!

    ResponderExcluir
  13. OI Hérida desde que eu vi sua resenha esse livro está na minha lista de desejados. Apesar de já estar lendo livro bem densos e que exigem muito da minha atenção e concentração eu toparia ler ele agora se pudesse, hehehehe.
    Adoro suas indicações e nunca me arrependo quando sigo.

    Bjs.
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  14. Quero ler só por esse ultimo paragrafo!
    Não conhecia esse livro até pouco tempo quando uma amiga citou no twitter.
    Fiquei curiosa mas não procurei saber mais sobre ele e passando aqui encontrei a resenha e resolvi dar uma olhada!
    Só por ser em parte no mundo da arte já me conquistou, mas o drama psicológico envolvido parece muito atraente, vai pra lista de compras!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Eu morro de vontade de ler esse livro, mas quero ler com calma e por enquanto estou sem tempo!! Prefiro esperar do que ler com pressa e perder bons detalhes!! rs...
    Beijos
    Camila - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  16. Oie...gente, achei a história bem intensa, não conhecia este livro, achei muito interessante...

    ResponderExcluir
  17. Hérida,
    Você conduziu suas palavras maestralmente nessa resenha, devo dizer-lhe.
    Desconhecia a existência desse livro no catálogo da Intrínseca e achei-o peculiar. Uma temática muito delicada e que faz referência à arte... Agradaria extremamente meu paladar literário, haha.

    Beijinhos,
    Ana - Na Parede do Quarto

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Obrigada pela visita e volte sempre.

- Comentários que não tenham relação com a postagem serão removidos.
- Caso queira se comunicar comigo, envie sua mensagem pela opção contatos no menu do blog ou pelo email localizado na sidebar.

Nos encontramos no próximo post!

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL