target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

sábado, 21 de abril de 2012

“ASSASSIN’S CREED – IRMANDADE” (Oliver Bowden)

“Chegarei até o coração negro do império corrupto para arrancar o mal pela raiz. 
Mas Roma não foi construída em apenas um dia e também não será reerguida por um Assassino solitário.
Eu sou Ezio Auditore de Florença. Essa é a minha Irmandade.”

~~~*~~~
Os eventos ocorridos na Câmara sob a Capela Sistina ainda assombravam Ezio Auditore. A Deusa da sabedoria, Minerva, colocou uma enorme responsabilidade sobre seus ombros. Ezio era o escolhido de seu tempo, aquele que libertaria os oprimidos do jugo.

Ele foi alertado… deveria proteger-se contra os Bórgia e ser cuidadoso com a Cruz Templária. Seus inimigos eram perigosos e estavam dispostos a tudo para alcançar o poder. 
Apesar de ser habilidoso, Ezio cometeu um erro que um Assassino jamais poderia se sujeitar... sentiu compaixão e deixou seu maior inimigo vivo. Agora, ele e seus companheiros de Irmandade pagariam o preço.

Após uma emboscada armada pelos Bórgia, Ezio decidiu que chegara a hora de atacar o coração das forças de seu inimigo. Só havia um lugar para onde poderia ir… Roma.
Com a ajuda de Maquiavel, uma força poderosa dentre os membros da Irmandade, Ezio se infiltraria na cidade e daria início a seu contra-ataque. Mas Roma não é mais a mesma. A cidade que outrora fora símbolo de prosperidade, agora estava a beira da ruína. A decadência se espalhava pelas ruas e os cidadãos, oprimidos e degradados, padeciam sob a crueldade da família Bórgia.

Ezio honraria o Credo dos Assassinos... lutaria contra a injustiça e derrubaria os tiranos que estavam levando Roma à destruição.
Porém, os planos de Cesare Bórgia iam além do que Ezio poderia imaginar. Ele não queria apenas dominar Roma, mas planejava conquistar todo o país e, para isso, não hesitaria em derramar sangue inocente.

Para combater essa ameaça, Ezio precisará unir forças. Com a ajuda de féis companheiros de Irmandade, ladrões e prostitutas, ele começará a minar os planos de seus inimigos.
Mas em tempos onde o dinheiro seduz e a traição está à espreita, qualquer um pode ser suspeito de conspirar – até mesmo a própria Irmandade…
~~~*~~~
Irmandade é o segundo volume da série Assassin’s Creed, baseado na franquia de jogos homônima e adaptada para os livros por Oliver Bowden. Nunca joguei Assassain’s Creed, por isso não posso avaliar a fidelidade da história que foi adaptada. O que despertou meu interesse nos livros não foi o jogo. A trama interessante, o cenário ambientado na Itália do século XV e a mescla de épico histórico com fantasia foram os ingredientes que chamaram minha atenção. Essa série me deixa dividida… Em muitos momentos eu adoro, em outros, sinto que falta algo.

Vocês leram na resenha de Renascença que eu estranhei a evolução do tempo na história, pois se passavam meses e até anos no decorrer de poucas páginas. Em Irmandade, esse avanço no tempo fora do comum ocorre com menos frequência, porém não dá para ignorar que há algumas lacunas estruturais. Mas nada que atrapalhe o bom entendimento da trama. Fiquei surpresa com a idade de Ezio Auditore nessa sequência. Comecei o primeiro livro conhecendo Ezio ainda adolescente e agora, no segundo livro, encontro um homem de meia-idade.
Os personagens continuam ótimos, mas não gosto muito dos ânimos de Ezio. Ele é um homem solitário e um tanto amargo. O personagem me deixa melancólica.

O ritmo é ágil e o enredo apresenta cenas de ação do início ao fim. O leitor encontrará muito combate corpo a corpo, disputas e assassinatos, afinal Ezio é um membro da Irmandade dos Assassinos. Pode parecer excentricidade minha, mas eu adoro a desenvoltura de Ezio ao matar. rsrs

- Se você sobreviver – disse ele – e voltar a ver aquele saco de estrume bexiguento que você chama de mestre, diga a ele que isso aqui foi feito com os cumprimentos de Ezio Auditore. Se não sobreviver, “requiescat in pace”. 
 pág. 131

Assassin's Creed – Irmandade é um épico histórico repleto de aventura. Uma leitura fácil, que entretém com sua narrativa simples e descrições na medida certa para o contexto da trama.

Bowden, Oliver. Assassin’s Creed – Irmandade. Galera Record, 2012. 392 p. (Assassin’s Creed, Vol. 2)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL