target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

“O OÁSIS OCULTO” (Paul Sussman)

— Nosso planeta tem sido tão estudado, mapeado, explorado e desnudado de toda a sua magia que o mundo fica de alguma forma mais interessante quando sabemos que existe um cantinho dele que ainda está fora de nosso alcance. No momento, o wehat seshtat continua a ser exatamente isso: um oásis oculto.
Pág. 49
~~~*~~~
Fazia onze horas que Freya Hannen havia recebido a notícia. Agora, ela estava pendurada num paredão rochoso com quinhentos metros de altura. Era o que fazia em períodos turbulentos e de grande angústia…escalava. Sua irmã, Alex – uma famosa exploradora do deserto –, havia cometido suicídio. Mais do que nunca, Freya precisava da paz que as escaladas lhe traziam. Estava se preparando para o funeral no Egito.

Enquanto isso, Flin Brodie – um renomado egiptólogo – tenta afogar suas mágoas nos bares do Cairo. Acabou de perder uma amiga querida e sente que sua carreira chegou a um limite. Seu desejo de encontrar a Atlântida do deserto do Saara, o Oásis de Zerzura, não passa de um sonho. Agora, ele está começando a perder a fé de que o oásis realmente exista.

Ao chegar em Dahla, local onde Alex vivera e onde seu funeral seria realizado, Freya se depara com uma situação perturbadora. Sua irmã sofria de esclerose múltipla e já havia perdido a motricidade de quase todos os membros. Como, então, ela havia se suicidado? Convencida de que Alex fora na verdade assassinada, Freya decide descobrir o que motivou a morte. Por que alguém mataria uma mulher doente?

Em uma tarde, um beduíno vai a procura de Alex. Pelo que Freya entendeu, ele queria entregar algo a sua irmã: uma mochila encontrada no deserto. Logo, Freya percebe que a visita desse homem acabou colocando sua vida em perigo… Ela se tornou alvo dos assassinos de sua irmã.

Desesperada, Freya foge para o Cairo e pede ajuda a um antigo amigo de Alex, o egiptólogo Flin Brodie. Juntos eles irão à caça dos fatos. Ao seguirem as pistas encontradas na mochila, eles descobrem que a verdade, inacreditavelmente, está ligada ao Oásis Oculto que Flin perseguiu a vida inteira. Mas eles não são os únicos atrás dos mistérios que Zerzura esconde. 
De repente, eles estão envolvidos em uma trama de vida ou morte, onde a localização do lendário Oásis Oculto é a peça chave desse perigoso jogo. Segredos virão à tona, inimigos serão revelados e uma corrida contra tempo em busca de respostas se inicia.
~~~*~~~
O Oásis Oculto, de Paul Sussman, foi uma leitura inusitada e muito divertida. Realidade ou ficção? Apesar de muitos argumentarem que o Oásis Oculto – também conhecido como Zerzura – não passa de uma lenda, isso não impediu que explorações fossem realizadas para encontrá-lo. O crescente interesse acadêmico pelo Oásis remonta do século XIX, mas foi no início do séc. XX que ocorreu a febre do Zerzura. É difícil de acreditar, mas segundo o autor existiu até um clube que se reunia para debater o assunto – o Zerzura Club. Entretanto, para mim, a obra pendeu mais para o lado da fantasia. O autor fez uma extensa pesquisa sobre o assunto, mas não há nada concreto no que se fundamentar. Assim, é praticamente impossível afastar a atmosfera de mito.

Inicialmente o autor bombardeia o leitor com informações desconexas e vários núcleos de personagens. Fiquei meio perdida em relação ao papel que esses personagens iriam desempenhar no enredo. Porém, logo os acontecimentos se interligam e convergem num ponto em comum… a busca pelo Oásis Oculto. A partir daí, o leitor começa a ligar os pontos e a entender os detalhes da trama. Mas não se engane achando que a solução do enigma é dada de bandeja, Sussman manipula o que o leitor deve ou não descobrir ao longo da história. Fui surpreendida com novas revelações do início ao fim.

A narrativa de Sussman é muito envolvente. O autor nos leva em um maravilhoso passeio pelo Saara. Sou particularmente apaixonada por escritas capazes de me transportar para dentro da história.
Os personagens são enigmáticos, pois todos possuem algum segredo sórdido. Aqui, ninguém é o que parece ser.

O desfecho do livro é de tirar o fôlego, porém achei um tanto excessivo. Apesar de ser empolgante, a sequência de eventos que o autor criou para arrematar a história foi extravagante demais para meu gosto. Sussman, literalmente, descambou para o absurdo. Mas esse disparate só ocorre mesmo no desfecho do livro. Dos males o menor. O restante da história é excelente… um enredo interessante, bem amarrado e repleto de ação. 

Gosta de suspense e aventura com um toque de fantasia? Então, O Oásis Oculto é perfeito.

Sussman, Paul. O Oásis Oculto. Bertrand Brasil, 2012. 574 p.

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL