target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 22 de maio de 2013

“ALMA?” (Gail Carriger)

Embora a posição fosse bastante indecente, foi nela que a Srta. Tarabotti se viu, inexplicavelmente, com as anquinhas suspensas, as várias camadas de saia retorcidas, sentada no colo de Lorde Maccon. Ele parou de beijá-la, o que a decepcionou, mas, em seguida, começou a mordiscar seu pescoço, o que foi gratificante…
p. 143
~~~*~~~
Alexia Tarabotti não tem alma. Faz parte de uma espécie diferente, nem natural nem sobrenatural. Ela é uma Preternatural… alguém capaz de neutralizar as forças sobrenaturais.
Alexia fazia parte da lista oficial de aberrações de Londres e arredores, por isso ficou surpresa quando foi atacada por uma vampiro sem modos e de uma ignorância inaceitável. As coisas só pioram quando acidentalmente a Srta. Tarabotti mata o vampiro. Agora, ela terá que enfrentar o carrancudo Lorde Maccon – o lobisomem temperamental, lindo e tentador – dirigente do Departamento de Arquivos Sobrenaturais (DAS).

Lorde Maccon é o alfa da alcateia de Londres e se perguntava: por que a Srta. Tarabotti sempre estava envolvida em confusão? Mas no fundo, ele gostava de seu jeito incontido. Lorde Maccon achava Alexia uma mulher interessante, porém ela sempre estragava tudo ao abrir a boca e tagarelar incessantemente.

Mas o porquê daquele vampiro desconhecer a existência de preternaturais era um mistério que desafiava a compreensão de Alexia e Lorde Maccon. Afinal, os vampiros tinham memória longa e a obrigação de reconhecer o toque de um preternatural. Ele só podia ser um vampiro novo. Ao investigar, o DAS faz uma descoberta preocupante… vampiros e lobisomem estão desaparecendo.

Pouco depois, Alexia se vê caçada por uma criatura aterrorizante. Na tentativa de protegê-la, Lorde Maccon faz questão de vigiá-la de perto. Mas o tiro saiu pela culatra… com a proximidade da lua cheia, os instintos do lobisomem ficam a flor da pele e Lorde Maccon não consegue mais negar seu verdadeiro interesse pela Srta. Tarabotti.

Enquanto Alexia se divide em investigar os estranhos acontecimentos, fugir de seus perseguidores e se atracar com lorde Maccon, seus inimigos estão colocando em prática um terrível plano. Será que os poderes de Alexia serão capazes de neutralizar essa ameaça?
~~~*~~~
“Alma?” – primeiro volume da serie O Protetorado da Sombrinha de Gail Carriger – foi uma deliciosa surpresa. À primeira vista o livro pode parecer comum, mas a autora criou uma trama inusitada ao introduzir numa obra sobrenatural, ambientada no século XIX, elementos tecnológicos modernos para a época. Um enredo original, que mescla os subgêneros sobrenatural e steampunk de uma maneira envolvente.

Com personagens cativantes e uma trama repleta de humor inteligente, “Alma?” se mostrou a leitura perfeita para sair da mesmice.
Nossa heroína é Alexia Tarabotti, uma personagem muito peculiar. Uma solteirona geniosa de 26 anos, considerada uma velha “encalhada”, cuja aparência foge dos padrões de beleza da época… a Srta. Tarabotti possui a pele morena demais, um nariz avantajado, cabelos escuros, curvas acentuadas e para completar o quadro… é uma preternatural. Que homem gostaria de ter uma esposa assim? Nenhum! Apenas um lobisomem seria capaz de suportar tamanha imperfeição. rsrs

Lorde Maccon é um lobo alfa "tudo-de-bão". Escocês, alto, forte e com olhos castanho-amarelados irresistíveis. Adorei os diálogos repletos de humor e alfinetadas entre Alexia e Lorde Maccon. Vale lembrar que “Alma?” não é um romance juvenil, pois há cenas bem sensuais.

A autora criou um universo próprio, com mitos e uma estrutura social diferentes do que estamos acostumados a encontrar. Aqui, os seres sobrenaturais vivem em relativa harmonia entre os humanos. Sua existência é conhecida de todos, respeitam as normas de convivência em sociedade e estão inseridos em áreas estratégicas – como na política e conselho militar.

Eu gostaria que a condição de preternatural e as implicações de não ter alma tivessem sido melhor exploradas. Fiquei desejosa por mais detalhes a esse respeito.

“Alma?” foi uma leitura muito gostosa. Não esperava que um romance ambientado na Inglaterra vitoriana – “sobre vampiros, lobisomens e sombrinhas” – pudesse ser tão divertido.

Carriger, Gail. Alma?. Valentina, 2013. 308 p. (O Protetorado da Sombrinha, Vol. 1)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL