target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 5 de junho de 2013

“INSURGENTE” (Veronica Roth)

Descobri que as pessoas são compostas de camadas e mais camadas de segredos. Você pode achar que as conhece, que as entende, mas seus motivos estão sempre ocultos, enterrados em seus próprios corações. Você nunca as conhecerá de verdade, mas às vezes decide confiar nelas.
p. 494
~~~*~~~
Beatrice Prior surpreendeu a todos ao decidir mudar de facção. Enfrentou duros treinamentos, competições acirradas e adversários implacáveis para ser aceita na Audácia, mas o fim de sua iniciação que deveria ter sido marcada pela vitória, acabou se transformando numa calamidade.
A sociedade que julgava perfeita está em decadência, e os conflitos ideológicos entre as facções ameaça a paz. Uma guerra parece inevitável.

Para salvar sua vida, Tris foi obrigada a fazer duras escolhas. Agora, ela luta com sua própria consciência, e está transtornada pela dúvida... será que poderia ter agido de forma diferente? Sua lealdade e amor são fortes o suficiente para vencer qualquer obstáculo? A culpa que sente faz com que persista na tentativa de salvar as pessoas a seu redor, expondo-se ao perigo.

Mas o tempo de fazer escolhas está apenas começando… Com a hostilidade declarada de algumas facções, imparcialidade de outras e traições em toda sociedade, cada cidadão deverá tomar partido e decidir por quem irá lutar. E morrer…

Em meio ao conflito, segredos irão emergir, relacionamentos se transformarão e as resoluções de cada um se tornarão cada vez mais definitivas. É lutar pelo que se acredita ou viver em absoluta sujeição a outrem.

Tris precisa aceitar sua divergência, mesmo que não saiba exatamente o que pode perder ao fazer isso. Ser divergente pode se transformar num fardo e destruí-la, mas também pode ser a salvação para aqueles que ama.
~~~*~~~
Insurgente é o segundo volume da série distópica Divergente de Veronica Roth. Iniciei a leitura um tanto insegura, pois gostei muito do primeiro livro e estava ansiosa por essa continuação. Mas Insurgente não me decepcionou, apesar de em vários momentos ter perdido a paciência com a protagonista.

A história inicia imediatamente após os eventos que encerraram o primeiro livro da série. Em Insurgente as facções da Erudição, Amizade, Franqueza e também os Sem-facção participam ativamente da trama. Somos apresentados aos líderes desses grupos, também ao modo de vida e pensamento de cada um deles. Vários assuntos que foram deixados em aberto no livro anterior, são esclarecidos aqui.

Veronica Roth traçou a personalidade da protagonista de forma contraditória… Em Divergente Tris se mostrou um tanto cruel e mesquinha, principalmente quando sua índole era colocada à prova. Agora, em Insurgente, parece que Tris foi investida – de uma para outra – por um altruísmo imprudente. Confesso que me irritei com suas tomadas de decisões, que visavam o “bem do próximo”, mas de forma totalmente insensata e irresponsável. O fato de ela não hesitar ante a nenhum perigo, faz com que pareça uma lunática suicida. Triz está devastada pela culpa, e esse sentimento faz com que ela procure a redenção, mas de uma forma meio às avessas. A ladainha sem fim sobre seu sentimento de culpa também é enervante.

Entretanto, logo em seguida, Tris assume o papel de uma pessoa sábia e que dá conselhos racionais. Parece insensato não é? Porém, há um motivo para isso. Acredito que a intensão da autora foi descrever, através das atitudes de Tris, sua divergência. Pois, seu lado altruísta é típico da Abnegação, o imprudente da Audácia e o sábio da Erudição. Essa inconstância de ações é interessante quando pensamos na divergência de Tris, entretanto seu estado de espírito flutua tão repentinamente que a personagem assumiu uma aparência instável, tanto emocional como psicologicamente. Isso não quer dizer que eu não tenha gostado de Tris, apenas que suas ações me pareceram equivocadas em alguns momentos.

Além de satisfazer a curiosidade do leitor em relação à estrutura da sociedade distópica, Insurgente também é repleto de ação, conflitos e traições. Sem falar no desfecho, que atiçou minha curiosidade. Não foi uma revelação surpreendente, pois já havia cogitado a possibilidade de algo do tipo. Porém, imaginar como a história irá evoluir a partir desse ponto, me deixou ansiosa pela continuação, Allegiant. Imperdível para os fãs de distopias.

Roth, Veronica. Insurgente. Editora Rocco, 2013. 512 p. (Divergente, Vol. 2)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL