target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

“O RESGATE NO MAR” – Parte 1 e 2 (Diana Gabaldon)

— Só você – ele disse, tão baixinho que mal podia ouvi-lo. — Adorá-la com meu corpo, dar-lhe todo o serviço de minhas mãos. Dar-lhe meu nome e todo o meu coração e minha alma também. Só você. Porque você não me deixará mentir… e assim mesmo você me ama.
(2ª parte) p. 442
~~~*~~~
(pode conter spoiler para quem não leu os volumes anteriores)

Escócia, 1968.

Ela viajara através das pedras, através do tempo, e foi arrancada dos braços de seu primeiro marido – Frank Randall. No passado distante, enfrentou a suspeita de ser uma espiã, foi presa por bruxaria e experimentou a derrota ao tentar mudar a história. E três anos mais tarde, seu segundo marido, Jamie Fraser, a enviara de volta através das pedras, grávida, num esforço desesperado de salvá-la e à sua filha por nascer do desastre iminente que logo tomaria conta da Escócia.

Após 20 anos no XX, Claire Randall tornou-se uma médica bem-sucedida e leva uma vida confortável com sua filha Brianna. Mas seu coração nunca se recuperou da perda de seu único e verdadeiro amor, de quem foi obrigada a se separar durante a sangrenta batalha de Culloden travada no século XVIII – o escocês de cabelos ruivos que mudara sua vida para sempre… Jamie Fraser.
Desde que voltara para o futuro, Claire acreditava que Jamie não tivesse sobrevivido ao conflito. Mas Roger Wakefield – um jovem historiador – fez descobertas que jogam por terras todas as crenças de Claire. Jamie não morrera em Culloden… Mas então, o que aconteceu com ele?

Decidida a descobrir o que o destino reservou a Jamie nesses vinte anos, Claire – com a ajuda de Roger e Brianna – continua com as investigações. Ela sabe que o tempo no passado e presente andam em paralelo, e está indecisa sobre como agir caso descubra que ele ainda está vivo no passado equivalente. Ela teria coragem de voltar, mesmo sabendo que isso poderia matá-la?
Brianna faz descobertas interessantes, e acredita que tenha encontrado o paradeiro de seu pai. Agora, não há como Claire negar seu amor ao único homem que tocou verdadeiramente seu coração e corpo. Ela precisa estar com ele novamente.

Então, Claire retorna ao círculo de pedra e, mais uma vez, volta à Escócia do século XVIII. Ela descobre que mesmo depois de 20 anos, a paixão que sentem um pelo outro continua avassaladora. Mas Claire logo percebe que sua vida ao lado de Jamie está longe de ser tranquila e monótona…
~~~*~~~
A resenha de hoje é sobre O Resgate no Mar – parte 1 e 2, terceiro volume da série Outlander de Diana Gabaldon. Não vejo como resenhar uma obra tão fascinante de maneira concisa. Então, senta que lá vem história…

Gabaldon possui uma baita disposição para escrever, pois todos os volumes da série são extensos. Os livros são longos, mas a leitura flui de maneira impressionante. Provavelmente, esse seja o motivo da editora Rocco – a partir o terceiro volume – dividi-los em duas partes. Confesso que não gosto dessa divisão. Decidi ler as duas partes de O Resgate no Mar juntas, sem intervalo, pois não há como avaliar um livro lendo apenas metade da história. Ao todo são 1010 páginas, e eu queria mais!

A cada volume que leio sou invadida por um sentimento de espanto e admiração, especialmente em relação ao vigor da escrita de Diana Gabaldon. Não é fácil escrever um romance histórico cujo presente interliga-se ao passado através da viagem no tempo. Sendo que, qualquer alteração nos fatos ocorridos no passado pode gerar mudanças na trama que transcorre no presente. Isso requer muito zelo e um enorme compromisso do autor.
A série já conta com sete volumes publicados, então ainda há muita história a ser contada. No primeiro livro – A Viajante do Tempo – o amor entre Jamie e Claire é construído pouco a pouco, calcado na confiança e companheirismo – principalmente por parte de Jamie. Em A Libélula no Âmbar, vemos essa união se fortalecer em meio a insegurança e a promessa de sofrimento provocados pela guerra que se avizinha. Agora, em O Resgate do Mar esse amor é colocado à prova.

A história transcorre em dois tempos, inicialmente com Claire em 1968 e Jaime saltando entre os anos de 1746 a 1766, aproximadamente. Os vinte anos em que passaram separados, os modificou. Jamie se tornou um homem endurecido pelos golpes da vida, me pareceu inclusive um pouco amargo. Jamie enfrentou tudo praticamente sozinho – traição, perseguição, risco de morte, prisão e a dolorosa falta de sua esposa. Claire também enfrentou sua cota de infortúnios, porém ela teve o privilégio de ter sua filha - Brianna – a seu lado, o apoio de um marido, Frank, no momento mais difícil e os confortos da vida moderna. Aqui, achei que Claire se apresentou um tanto insegura e desconfiada em relação à solidez do amor de Jamie. Será que após vinte anos de separação os sentimentos são os mesmos? Será que chama de Jamie ainda arde por ela da mesma forma? Que tipo de pessoa ele se tornou?
Apesar dos momentos de dúvidas, Claire está decidida a amar Jamie como é agora em nome do homem que ele foi um dia. Ah… é tanta paixão e cumplicidade.

Na 1ª parte de O Resgate no Mar, a história é focada em preencher parte das lacunas desses vinte anos. Gabaldon nos apresenta um relato bem detalhado sobre o que aconteceu com Jamie nesse período, e entendemos os motivos de Claire permanecer no século XX. Nessa fase, a narrativa é um pouco mais densa, mas prepara o leitor para o momento tão esperado. São os relatos do que aconteceu enquanto Claire e Jamie estavam separados, que alicerçam as emoções e ações dos nossos heróis na 2ª parte da história.

A capacidade de Jamie e Claire em atrair problemas é algo incrível. Como o próprio título do livro indica, grande parte da história é ambientada a bordo de um navio. O porquê, vocês terão que ler para descobrir… Mas o que interessa é que Gabaldon muda o cenário, saímos das Highlands e viajamos pelas índias orientais. Essa mudança de ares – das rochosas montanhas escocesas para o clima tropical das ilhas caribenhas – foi algo muito bem-vindo e que deu mais fôlego à trama.

O desfecho do livro é sensacional. Tambores de Outono promete trazer novos ventos e muita aventura, assim eu espero. rsrs Quem já leu algum livro da série Outlander, entende os sentimentos que experimentamos ao longo de suas páginas. E, para quem ainda não conhece a saga, eu aconselho que leia e se aventure através de uma ficção histórica repleta de matizes. Perfeito…

Gabaldon, Diana. O Resgate no Mar - Parte 1 e 2. Rocco, 2007. 454 +556 p. (Outlander, Vol. 3)


Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL