target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

“DESUMANO E DEGRADANTE” (Patricia Cornwell)

“Foi minha preocupação intensa com os vivos que me fez estudar os mortos. O que aprendemos com os mortos beneficia os vivos, e a justiça é para os que fica.”
p. 296
~~~*~~~
A legista-chefe do estado da Virgínea, Kay Scarpetta, detestava execuções. Detestava esperar que alguém morresse para, em seguida, cortar com o bisturi carne quente como a dela. Ao longo dos anos aprendera o que dava e o que tirava a vida, e aprendera também que alguns clichês são verdadeiros… Não há justiça nesta Terra. Kay sabia que nada jamais apagaria o que Ronnie Joe Waddell havia feito.

Ele tinha ficado nove anos no corredor da morte, mas seu pedido de clemencia fora negado… Waddell foi execução na cadeira elétrica e Kay Scarpetta faria sua necropsia. Mas o que parecia ser um procedimento de rotina, mostrou-se um caso confuso e aparentemente insolúvel.

Paralelamente, uma criança brutalmente assassinada e mutilada, coloca Kay Scarpetta e o detetive Marino no centro de um emaranhado de pistas desconexas. Mas isso não é tudo… o rastro de corpos continuam pela cidade. Kay jamais cogitou a possibilidade de encontrar na cena de um crime as impressões digitais de um homem morto. Waddell, o condenado cujo cadáver ela havia examinado, esteve na casa de uma das vítimas. Como isso poderia ter acontecido?
Uma a uma, as pessoas relacionadas a Waddell aparecem mortas. Entre tantos fatos contraditórios e uma investigação de crimes cometidos por um assassino já morto, Kay percebe que alguém está tentando sabotar seu trabalho.

Atacada pela imprensa, com sua competência sendo questionada publicamente e traída por quem confiava, ela parece ser alvo de uma intriga que vai muito além do departamento de medicina legal. Agora, Scarpetta precisa concentrar todos seus esforços para desvendar o que realmente está acontecendo e se livrar das acusações que podem colocá-la no banco dos réus.
~~~*~~~
Desumano e Degradante – quarto volume da saga policial Scarpetta de Patricia Cornwell – foi um dos melhores livros até o momento. Sempre achei que séries muito extensas tendem a degringolar em algum momento. Infelizmente, li um volume fora de ordem – Livro dos Mortos – e achei o enredo bem fraco. Espero relê-lo um dia e que minhas impressões sejam melhores. Vai que lendo na ordem a história revele novos contornos e eu acabe gostando? Por enquanto estou curtindo bastante a série.

A cada livro, fica evidente a evolução na caracterização dos personagens. Nesse volume, Kay Scarpetta se mostra mais segura em relação ao trabalho, não aceitando passivamente que ameacem sua posição. Ela enfrenta os desafios e não se intimida com os percalços que deve enfrentar. Em contraste a esse lado forte e bravio, a protagonista apresenta certa fragilidade emocional. Aqui, Kay enfrenta alguns fantasmas e ainda não conseguiu se livrar da amargura. Construiu em torno de si uma muralha, o que a faz parecer um tanto indiferente e insensível. Porém, sua tentativa de se distanciar nada mais é que uma forma de autopreservação. Essa mescla de força e vulnerabilidade tornou a personagem muito mais humana a meus olhos.

Em Desumano e Degradante, a autora segue uma linha bem interessante. No início acompanhamos dois casos distintos, que ao longo da investigação Scarpetta e Marino são levados a crer que possam ter alguma ligação. Uma série de assassinatos com características semelhantes às usadas por um condenado executado na cadeira elétrica desafiam a polícia. Seria um imitador ou executaram o homem errado? 

Além disso, Kay se torna alvo de uma conspiração com intuito de questionar sua competência e desacreditar todo seu trabalho. Bem… a credibilidade do trabalho de Kay já foi contestada em livros anteriores e, confesso que achei a abordagem desse assunto repetitiva.
Mais uma vez o desfecho da investigação não foi do meu agrado. Percebo que as resoluções criadas por Cornwell representam um problema para mim. A descoberta súbita da solução ou a compreensão repentina de detalhes antes ignorados não me convencem. Geralmente, Kay tem um “insight” e de uma hora pra outra desvenda todo o caso. Não gosto desse tipo de desfecho, pois prefiro que o criminoso seja descoberto em decorrência da investigação.

Por outro lado, o suspense e a tensão compensam todas as "marmeladas" dos finais. Quero que o próximo livro seja lançado logo! Recomendadíssimo para os fãs de thrillers policiais.

Cornwell, Patricia. Desumano e Degradante. Paralela, 2013. 313 p. (Scarpetta, Vol. 4)


Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL