target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 9 de maio de 2012

“O FOGO” (Katherine Neville)

No século VIII o governador muçulmano de Barcelona, Ibn-al-Arabi, presenteou o grande imperador Carlos Magno com um valiosíssimo conjunto de Xadrez.
Mais tarde, o jogo foi encerrado dentro da Abadia de Montglane. Permanecendo escondido por mais de 1000 anos.
Em 1790, o conjunto de xadrez foi retirado de seu esconderijo, suas peças foram espelhadas pelo mundo e seu segredo exposto. Com esse movimento, foi iniciada uma nova partida de um jogo mortífero, que ameaça – até hoje – acender o fósforo que incendiará o mundo…
~~~*~~~
Albânia, 1822.
Trinta anos haviam se passado desde que o conjunto de xadrez de Montglane fora desenterrado. Em meio à tensão que assola a Europa, provocada pela ameaça de uma revolta grega contra o domínio do Império Otomano, “Arslan” Ali Pasha – o mais poderoso governador turco-otomano – enfrenta um perigo mais imediato. Considerado um infiel rebelde pelo sultão, ele está prestes a ser atacado por forças turcas. Ali Pasha sabe qual será seu destino, mas antes de encarar a morte ele precisava proteger o segredo que havia guardado por tanto tempo… a Rainha Preta.

Então, o paxá confia à sua filha, Haidée, a importante missão de levar a peça mais importante do serviço de Montglane para a Europa, onde seria posta aos cuidados do único homem capaz guardá-la em segurança. Mas Haidée não estaria sozinha nessa jornada, Kauri – um janissário – seria seu protetor e companheiro de missão. Perseguidos desde a Albânia, Haydée e Kauri, enfrentam grandes perigos para contrabandear a peça de xadrez. Viajam através do Marrocos, Roma e Grécia até o centro do tabuleiro de um misterioso jogo, cujos segredos podem levá-los à morte.

Colorado, 2003.
Há dez anos, Alexandra Solarin sofreu um grande golpe. Durante uma competição de xadrez na Rússia, Alexandra presenciou o assassinato de seu próprio pai. Mesmo sendo uma enxadrista notável, depois desse trágico episódio, ela nunca mais jogou.
Sua mãe, Cat Velis, sempre preferiu o distanciamento físico e emocional, por isso Alexandra estranhou seu repentino convite para uma festa de aniversário. Atendendo ao chamado da mãe, ela viaja para as montanhas rochosas do Colorado. Porém, ao chegar na cabana da família, ela percebeu que algo muito errado estava acontecendo.

Cat Velis não estava lá, mas havia deixado um emaranhado de pistas e mensagens para serem decifradas. Alexandra logo percebeu que, para descobrir o mistério por trás do desaparecimento de sua mãe, ela precisava desvendar os enigmas que ela havia lhe deixado.
Com a ajuda de sua excêntrica tia, Lily Rad, Alexandra descobre parte de uma história inacreditável… Seus pais, Cat Velis e Alexandre Solarin, há mais de vinte anos fizeram parte de um jogo mortal ligado a um místico conjunto de xadrez. Eles acreditavam ter enterrado as peças espalhadas pelo mundo. Entretanto, um movimento despertou a atenção de Cat. A peça chave do tabuleiro de xadrez, reapareceu.

Agora, Alexandra precisa recuperar a Rainha Preta para proteger o segredo de um poder incalculável. O perigoso jogo havia sido reiniciado…
~~~*~~~
“O Fogo” é o segundo volume da série Montglane Service escrito pela autora Katherine Neville. A aguardada sequência de “O Enigma do Oito” demorou mais de vinte anos para ser publicada, foi uma longa espera para os fãs do primeiro livro.

Assim como no livro anterior, a autora narra duas histórias que transcorrem em períodos diferentes. Os capítulos se alternam entre os séculos XIX e XXI.
A narrativa continua rica e repleta de detalhes, envolvendo o leitor em um enigma de tirar o fôlego. Apesar da trama de O Fogo ser complexa e exigir um olhar mais atento, o leitor não consegue se afastar do livro. O mistério em torno do conjunto de xadrez e do “Jogo” são tão interessantes, que a densidade do enredo acaba se tornando um atrativo a mais.
Para quem não sabe o que é o “Jogo”, os personagens de Neville simbolizam as peças de um jogo de xadrez e fazem do mundo seu tabuleiro. Cada “peça” age de acordo com seus interesses;  atacando ou defendendo suas posições de acordo com o último movimento da equipe adversária. Sim, existe a equipe branca e a equipe preta, que batalham pelo domínio majoritário do xadrez de Montglane. Mas qual o objetivo do “Jogo”? Descobrir o mistério encerrado há mais de mil anos nas peças desse obscuro conjunto.

O Fogo é excelente, mas deixou a desejar justamente em relação ao “jogo”. Em O Enigma do Oito os personagens realmente jogam, mas nessa sequência isso não acontece. A atenção do leitor é desviada para a resolução do “verdadeiro” mistério escondido no xadrez de Montglane e o “jogo” entre os personagens é relegado a um segundo plano. Senti falta do clima de conspiração e da dúvida constante sobre qual peça cada personagem representa.

Adoro histórias com enigmas e simbolismos, e não me deixo intimidar por críticas que consideram esse tipo de trama comercial e sem conteúdo. Se você também é fã confesso de thrillers épicos repletos de suspense, não pode deixar de ler a série Montglane Service.

Neville,Katherine. O Fogo. Rocco, 2011. 512 p. (Montglane Service, Vol. 2)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL