target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

“UM BEIJO DO DESTINO” (Mary Jo Putney)

(…) Quando a preservação legítima de vidas torna-se uma interferência aceitável? Quando a simpatia particular transforma-se em um partidarismo proibido?…
— Eu não tenho como saber. Mas Duncan…tenha cuidado. A linha tende a ser muito clara depois que você a cruza. – Sua mensagem implícita era muito clara: Não me faça lutar contra você.
Duncan concordava plenamente. Entretanto, precisava seguir sua consciência… e que Deus os poupasse de se tornarem inimigos.
Pág. 284 -285
~~~*~~~
Embora seja filha de um Guardião, Gwyneth Owens lamentava não ter herdado os poderes do pai. Cresceu em meio aos livros e se apaixonou pelas obras sobre a história da magia e a sabedoria das famílias ancestrais guardiãs das ilhas britânicas.

Os Guardiões, humanos dotados de poderes mágicos que vivem clandestinamente entre os mundanos. São chamados assim em virtude do juramento que prestam, de usar seus poderes para proteger e servir ao bem.
Apesar de Gwynne não ter nenhum poder, foi criada como guardiã em virtude de sua descendência. Após a morte do pai, ela ficou grata por fazer parte das famílias, pois não seria abandonada à própria sorte.

Quando Lorde Emery Brecon pediu sua mão em casamento, Gwynne aceita desposá-lo. Apesar de Emery ser um Guardião já em idade avançada, a jovem tem grande admiração pelo homem. Seria um relacionamento sem paixão, mas repleto de carinho e respeito.

Anos depois, Gwynne – agora viúva – vê seu caminho ser cruzado por uma tempestade. Ao ser apresentada a Lorde Ballister, líder do clã Macrae de Dunrath na Escócia, Gwynne pressentiu que seu destino havia sido definido. Estava escrito que aquele homem faria parte de sua vida.
Apesar da forte atração que sentiu, Gwynne não aceitaria esse destino placidamente. Ela é uma mulher sem poderes mágicos e, Duncan Macrae, o maior mago do tempo – conhecido como o senhor do trovão. Gwynne temia sentir-se oprimida com os vastos poderes do homem.
Mesmo temerosa, Gwynne não resiste à sedução de Macrae e rende-se a um beijo. Foi quando o caos a atingiu… O momento de excitação estilhaçou-se em imagens de fogo, sangue e morte. Aquele homem não era apenas misterioso e sedutor, ele também era perigoso…
Uma nova revolução estava prestes a eclodir nas Highlands escocesas e os magos do Conselho dos Guardiões pressentem uma catástrofe iminente. Sabem também que Duncan terá um papel crucial no resultado do levante e poderá ser o catalisador de um futuro sombrio.
Agora, cabe a Gwynne impedir que esta catástrofe aconteça. Por orientação do Conselho, ela se casa com Duncan com a missão de tentar manter a harmonia e não permitir que ele quebre seus votos como Guardião. Mas Gwynne sabe que só conseguirá evitar o pior magoando profundamente seu marido. Será o amor capaz de superar um destino repleto de sangue, morte e traição?
~~~*~~~
Um Beijo do Destino, primeiro volume da série Os Guardiões, é um romance repleto de magia, paixão e sedução. Ambientado na Londres e Escócia do século XVIII, a autora mescla um pano de fundo histórico sensacional com elementos de fantasia. Impossível de resistir.
Sou particularmente apaixonada por livros que narram os levantes jacobitas, um período conturbado das Terras Altas escocesas. Apesar de guerra e morte serem os assuntos que moldam a trama de Um Beijo do Destino, este não é o foco do romance. Os acontecimentos que tiveram graves repercussões foram abordados de forma sutil, pois Jo Putney preferiu evitar descrições de batalhas sangrentas e manter o amor e a esperança como tema principal do livro. Assim, mesmo situado em um momento terrível da história, Um Beijo do Destino consegue ser um sopro de ar fresco.

A narrativa da autora tem um ritmo ótimo e é muito envolvente. Os personagens são fortes, cativantes e descritos de uma maneira que – apesar de toda magia envolvida – são muito humanos. Adorei a forma como Jo Putney traçou a personalidade de seus protagonistas. Duncan – por exemplo – é um mago dotado de grande poder, mas um homem suscetível a cometer erros como outro qualquer.

O romance entre Duncan e Gwynne é doce e turbulento na mesma medida. A relação do casal é muito intensa, pois é repleta de altos e baixos. Fatores externos, como: política, lealdade, e diferenças de opinião acabam influenciando no convívio e faz com que ambos duvidem da força do amor que sentem. Esse aspecto me agradou, pois tornou o romance mais crível.
Minha estreia com Mary Jo Putney não poderia ter sido melhor. Um Beijo do Destino é um romance encantador, imperdível para os fãs de ficção histórica e fantasia.

Putney, Mary Jo. Um Beijo do Destino. Bertrand Brasil, 2010. 406 p. (Os Guardiões, Vol. 1)

Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL