target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Leitura Recomendada
target="_blank">Some alt text
Lançamentos e Eventos
target="_blank">some alt text
Escolha do Leitor
target="_blank">some alt text
Conheça o Autor
target="_blank">Some alt text
Livros Importados
target="_blank">Some alt text
Digno de Nota

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

“TABULEIRO DOS DEUSES” (Richelle Mead)

Talvez existam mesmo forças sobrenaturais no mundo que não podemos descartar.
p. 49
~~~*~~~
No início do século XXI, um vírus foi lançado no mundo e destruiu metade de sua população - o Mefistófeles. Durante cinquenta anos a Terra sofreu os efeitos da doença. Esse período foi conhecido como Era do Declínio, até que uma vacina foi descoberta. Mas o Mefistófeles deixou seu legado… um grupo de defeitos hereditários denominados Caim, ainda marcava algumas pessoas sem ascendência genética mista.

Após o Declínio, partes do que antes fora o EUA uniu-se ao Canadá, formando a República da América do Norte Unida. A “RANU” tornou-se o país mais estável e avançado tecnologicamente do mundo, um lugar onde todos desejavam estar. Principalmente o ex-investigador de grupos religiosos Justin March.

O resultado de seu último trabalho não foi bem aceito por seus superiores. Assim, Justin foi exilado de RANU e foi viver na província do Panamá. Mas um importante caso de Segurança Interna será seu passaporte para entrar novamente em RANU. Assim, Justin é reintegrado para desvendar uma série de assassinatos ritualísticos que podem ter relação com seitas clandestinas. Devido ao caráter violento do caso, um guarda-costas foi designado para sua proteção… a pretoriana Mae Koskinen.

Os pretorianos são supersoldados que servem ao país incondicionalmente, são temidos e letais. Mae não está contente com sua tarefa, afinal, seguir Justin March não parece ser muito emocionante. Ela gosta de ação e anseia estar ao lado de seus companheiros, protegendo a nação. Mas ela cometeu um erro, e como punição deverá bancar a babá de um investigador.

Mas a caçada ao assassino toma um rumo assombroso. Numa corrida contra o tempo, Justin e Mae se depararão com o desconhecido. Aos poucos eles percebem que são meras peças em um tabuleiro de forças inimagináveis…
~~~*~~~
Tabuleiro dos Deuses é o primeiro volume da série “A Era de X” de Richelle Mead. Essa é a terceira série adulta da autora que inicio, porém diferente das leituras anteriores,Tabuleiro dos Deuses foi um tanto desapontador. Não me entendam mal, a história não é ruim, porém a construção da trama é um tanto confusa e atropelada. Confesso que grande parte da minha decepção foi originada pelas altas expectativas que criei.

Esse primeiro livro é dedicado a introduzir o leitor no universo criado por Mead. Assim, somos bombardeados de informações e, infelizmente, nem todas elucidam as dúvidas que surgem ao longo da leitura. Aliás, alguns detalhes importantes foram simplesmente lançados na história sem uma apresentação adequada – como se o leitor devesse ter um conhecimento prévio dos pormenores do enredo. Pouco a pouco fui me situando e os meandros desse universo foram tomando forma. As explicações são entremeadas à narrativa, um artifício que não funcionou para mim. Cheguei a reler capítulos inteiros achando que havia me distraído e deixado passar alguma informação importante. Mas não, o problema é que a tal informação que esclareceria minha dúvida não estava lá. 

A evolução da história ficou muito aquém do que eu esperava de uma autora como Richelle Mead. O texto apresenta muitas discrepâncias – como a criação de uma sociedade que não crê em nenhuma divindade e ao mesmo tempo é confrontada por deuses e entidades com poderes sobrenaturais. Fica difícil comprar a ideia de uma cultura sem fé, sendo que os deuses estão se apresentando a todo momento. Mead peca pelo exagero – pois mistura manipulação genética, entidades sobrenaturais, religião, seitas fanáticas, mitologia grega, celta, nórdica e o escambal…

A premissa é boa, mas a narrativa é um tanto truncada e pouco motivadora. Por ser uma série adulta, imaginei que o enredo seria mais sensual – como em A Canção do Súcubo e Filha da Tempestade. Na verdade, faltou química entre os personagens que deveriam formar um casal, além de serem pouco carismáticos.

Tabuleiros dos Deuses me deixou dividida… Gostei da ideia concebida pela autora, da atmosfera de mistério e o cenário futurístico – entretanto a construção da história não me cativou. Mas não vou desistir da série, acredito que o próximo livro será melhor. Assim eu espero. O ideal é que cada um leia e tire suas próprias conclusões.

Mead, Richelle. Tabuleiros dos Deuses. Paralela, 2013. 424 p. (A Era de X, Vol. 1)


Postagens populares

seguidores

LENDO NAS ENTRELINHAS Copyright © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL